Em tempos de incerteza econômica, projetar cenários mercadológicos é ainda mais relevante, porém mais difícil

por andre_inohara — publicado 20/06/2012 16h53, última modificação 20/06/2012 16h53
São Paulo – Utilizando ferramentas de inteligência de mercado, empresas podem visualizar alternativas para contornar cenários adversos.
incerteza_foto.jpg

Quando o grau de imprevisibilidade da economia aumenta, traçar cenários estratégicos se torna uma tarefa ainda mais importante, mas também mais difícil devido à necessidade constante de atualização de informações.

Especialistas afirmam, que em um contexto de crise internacional e desaceleração da economia brasileira, análises de inteligência de mercado como monitoramento da concorrência, pesquisa de satisfação do consumidor e acompanhamento dos custos de suprimentos são ferramentas bastante relevantes na tomada de decisão das empresas.

“A crise econômica nos mercados europeus é uma variável macro-ambiental que requer um processo de vigilância, no qual a empresa deve preparar um plano frente a cada evolução do cenário com um direcionamento para a tomada de decisão obtido através de processos analíticos”, disse Armelle Decaup, sócia da consultoria Defí Inteligência Competitiva e especialista em gestão do conhecimento.. Ela participou  do comitê estratégico de Diretores Comerciais da Amcham-São Paulo nesta quarta-feira (20/06).

Veja aqui: Inteligência e gestão do conhecimento são ativos estratégicos para monitorar cenários e gerar negócios

Inteligência competitiva é ferramenta para analisar tendências de mercado e oportunidades de negócios

Inteligência Competitiva em três etapas

Para Armelle, um dos principais papeis da inteligência competitiva, ou inteligência de mercado, é dar suporte ao cumprimento de metas comerciais. "Os gestores da área precisam participar do processo de inteligência, seja como patrocinadores ou usuários”, observa.

A metodologia da inteligência competitiva é estruturada em três etapas. A primeira, de planejamento, consiste em definir as necessidades e coleta de informações. Nessa fase, são concebidas as análises que influenciarão as decisões de cumprimento das metas estratégicas. “O propósito da inteligência por planejamento é ajudar a alcançar as metas mais ambiciosas”, define Armelle.

A etapa seguinte, chamada de vigilância, consiste em atualização de informações e monitorar a movimentação da concorrência. Além de potencializar as oportunidades de mercado, o monitoramento ajuda a corrigir a rota das ações, ressalta a consultora.

A última fase é a de suporte, onde o planejamento estratégico é atualizado com base no monitoramento de mercado.

Inteligência por vigilância

Em um cenário de indefinição econômica, o modelo de inteligência de mercado por vigilância é o mais indicado, segundo Armelle. “A produção de análises através do monitoramento de mercado é complementar ao planejamento e ajuda a identificar sinais de ruptura, acontecimentos ou evoluções com potencial de criar impacto positivo ou negativo mais para frente”, explica a consultora.

Os vendedores e representantes da área comercial têm grande importância, pois são eles que se relacionam diariamente com o mercado. “São eles que vão apoiar esse tipo de inteligência, pois estão em contato com os clientes e falam o tempo todo com o mercado. Eles podem coletar muitas informações”, destaca Armelle.

Veja aqui: Tecnologia sozinha nunca vai substituir o trabalho humano, garante especialista em gestão do conhecimento

 

 

 

Conhecimento é capital que mais gera competitividade, avaliam especialistas em inteligência de mercado

 

registrado em: