Empresariado precisa pensar mais nas questões políticas do Brasil, segundo Oscar Motomura

publicado 13/12/2016 09h11, última modificação 13/12/2016 09h11
São Paulo – Líderes precisam olhar mais para ecossistema do país para construir boas estratégias de negócio
reuniao-conjunta-dos-comites-estrategicos-de-ceos-chairpersons-e-presidentes-8007.html

Olhar para o ecossistema geral do país – inclusive para a política – é essencial para o crescimento e prosperidade das empresas, segundo Oscar Motomura, fundador e principal executivo da Amana-Key. Apesar de ver que alguns executivos não gostam do assunto, o especialista enxerga ser necessário mergulhar nesse assunto.

“Um sistema que estava doente está desabando e é responsabilidade nossa, como cidadãos, participar para desenhar um sistema que seja saudável. Não estamos mais na era dos grandes líderes, hoje o poder está com o cidadão. Precisamos reinventar nossas instituições e a representação política do empresariado”, afirmou, durante reunião conjunta dos comitês estratégicos de CEOs & Chairpersons e Presidentes no dia 06/12.

Para Motomura, os empresários ainda resolvem problemas pequenos e de forma paliativa, ao invés de buscar a raiz das dificuldades. “Precisamos de líderes vendo a realidade real das organizações, não a realidade relatada ou distorcida”, aconselhou.

O especialista ainda apontou a necessidade de se construir uma estratégia que seja coerente entre os diferentes prazos: curtíssimo, curto, médio e longo. “Como vivemos em uma cultura imediatista, as organizações geralmente direcionam seu foco apenas no curto prazo”, aponta. Além disso, a liderança da organização deve se afastar um pouco das tarefas operacionais, justamente para construir estratégias para os próximos anos. “Para ter um futuro, precisa ter tempo para pensar no futuro”, resumiu.

Outra tendência apontada por Motomura é uma mudança na cultura da gestão de pessoas, com estratégias mais participativas. “A gestão hierarquizada, baseada em comando automático, vai acabar. Estamos enxergando os colaboradores como parte da vida organizacional”, afirmou.

registrado em: