Empresas devem utilizar lógica das redes sociais nas estratégias de comunicação interna com funcionários

por giovanna publicado 24/01/2012 16h16, última modificação 24/01/2012 16h16
Dirceu Pinto
São Paulo – Linguagem mais informal, conteúdo multimídia e interação social entre colaboradores são principais vantagens.
foto_comite_de_mkt.jpg

As companhias devem explorar a lógica de funcionamento e a interação entre indivíduos nas redes sociais como estratégia de comunicação interna. O principal argumento para tanto está no fato de esse tipo de ferramenta tornar mais eficiente a comunicação, unindo linguagem mais informal, entrega de conteúdo multimídia e interação social entre colaboradores. É o que apontaram especialistas presentes nesta terça-feira (24/01) ao comitê de Marketing da Amcham-São Paulo, que tratou do tema “Novos Desafios da Comunicação Interna”. 

“A lógica das redes sociais é o que dita hoje a dinâmica dos negócios. A empresa tem que adaptar suas diversas frentes de comunicação a esse novo importante canal. Os funcionários e parceiros já estão presentes nas redes sociais e já utilizam o canal também para noticiar informações da companhia. Portanto, é preciso adotar (a ferramenta) e interagir com essa nova realidade”, argumenta Marcelo D’Angelo, diretor de Comunicação do Grupo Camargo Corrêa.

Com uma plataforma de rede social focada no trabalho, as companhias conseguem oferecer um espaço para debates, estimulando a inovação a partir da colaboração e interação entre pessoas com interesses comuns, mesmo quando estão a milhares de quilômetros de distância. “As redes sociais vieram para ficar. As pessoas já estão acostumadas com sua forma de linguagem, e sua lógica de funcionamento facilita e estimula a comunicação”, explica D’Angelo.

Planos da Camargo Corrêa

É pensando nesse tipo de benefício que o Grupo Camargo Corrêa, que conta com 61 mil funcionários em empresas na área de construção civil, calçados, energia e transportes, pretende criar sua própria rede social de interação entre colaboradores.

“Ainda não temos prazo de implantação, mas já entendemos a importância desse tipo de ação. Em breve, planejamos lançar nosso próprio Facebook corporativo”, adiantou o executivo. O primeiro passo nesse sentido foi dado em 2011 com a formação e o treinamento da rede de colaboradores digitais do grupo.

Case Pão de Açúcar

O Grupo Pão de Açúcar, maior empregador privado do País, com mais 160 mil colaboradores, é umas das companhias brasileiras que estão saindo na frente e lançando uma plataforma online cujo ponto forte é a interação social. A gerente de Comunicação Interna da rede varejista, Luciana Pinto, que também participou do comitê da Amcham-São Paulo, revelou que neste ano entra no ar a nova intranet da companhia focada na realidade da web 2.0.

“A nova intranet será uma grande central de relacionamento entre nosso grande universo de funcionários. Nosso principal objetivo será conquistar um capital social online, que só se constrói a partir da interação e do conhecimento das pessoas em rede, e cresce por meio de confiança e colaboração”, detalhou a executiva. 

No contexto atual de conectividade e grande fluxo de informação, ela afirma que uma intranet corporativa só consegue ser relevante atendendo as diferentes dimensões de necessidade humana. “Uma plataforma voltada hoje para a comunicação interna precisa reunir informações que atendam tanto as necessidades emocionais e pessoais como também funcionais do dia a dia de trabalho”, argumenta.

A nova intranet do Grupo Pão de Açúcar foi formatada nesse tipo de cenário. De acordo com Luciana Pinto, a plataforma terá dois focos de atuação: a “Plataforma de Trabalho”, voltada para informações funcionais, informativas e educacionais ligadas diretamente ao ambiente da empresa; e a de “Socialização e Colaboração”, para promover interação entre colaboradores e prover conteúdos interessantes para a vida pessoal dos funcionários.

Rede de agentes da Oxiteno 

O envolvimento direto dos colaboradores também foi a aposta da Oxiteno, empresa química do Grupo Ultra, ao criar e planejar plataformas de comunicação interna entre funcionários. A gerente de Comunicação da empresa, Patrícia Merli, compartilhou durante o comitê de Marketing o caso de sucesso de criação da “Rede de Agentes de Comunicação” da companhia. A ação focou no engajamento e treinamento de funcionários para atuar nas diversas plataformas de comunicação.

A Oxiteno possui como canais de comunicação interna veículos online e um impresso, além de campanhas e eventos. “Com a criação da Rede Agentes, descentralizamos a produção de conteúdo para funcionários de outros departamentos e conseguimos garantir a representatividade de diversos assuntos. Além disso, aumentamos o engajamento e a satisfação de nossos colaboradores nos canais de comunicação interna”, disse Patrícia.

A operacionalização da Rede Agentes acontece através de reuniões mensais com os envolvidos, plano de ação também mensais, capacitação, reuniões de pauta e indicadores para medir a performance dos canais de comunicação interna. A gerente da Oxiteno conta que o trabalho rendeu maior fluxo de conteúdo nos veículos internos e consequentemente ampliação de leitura e interação por parte do público-alvo.

registrado em: