Especialista aponta por que uma empresa deve fazer marketing digital

por anne_durey — publicado 02/05/2013 12h04, última modificação 02/05/2013 12h04
Recife - Eden Wiedemann, gerente de Novas Mídias do Governo do Distrito Federal, tem passagens por grandes agências de marketing digital como a F.biz

Estar presente no Facebook, ter um perfil no Twitter, um blog e um canal no Youtube, entre outras ações digitais, virou obrigação para as empresas. Entretanto, Eden Wiedmann, gerente de Novas Mídias do Governo do Distrito Federal alerta que nem sempre as empresas entram no marketing digital pelos motivos corretos. 

“O marketing digital é, frequentemente, o ator principal dentro do plano integrado de comunicação. Ele muitas vezes pauta a estratégia off line das empresas”, afirmou Wiedmann durante o 9º Panorama de Marketing em Pernambuco da Amcham-Recife, na última terça-feira (30/04). 

Ele ressalta que a principal vantagem de ações digitais é que a maioria dos consumidores já está na internet, e que o maior desafio é desenvolver conteúdo relevante para os diferentes públicos. 

Confira o que o especialista indica para quem procura aumentar sua presença digital. 

Por que sim?

Wiedmann elenca as principais características do marketing digital entre os bons motivos para justificar a presença das marcas na internet. 

O alcance das redes sociais é a primeira dessas razões. “O brasileiro tem o maior número de contatos em redes sociais na América Latina”, afirma. Estar presente no Facebook gerando conteúdo relevante, por exemplo, é uma forma de estar mais próximo dessas pessoas. 

Outras vantagens são a possibilidade de segmentação e de mensuração de resultados. “O nível de segmentação de ações digitais é alto, você consegue atingir públicos muito específicos em cada tipo de projeto”, comentou. E, medindo os resultados de acessos e engajamento em tempo real, é possível fazer ajustes mais ágeis na estratégia da marca, explicou. 

Na internet, especialmente no varejo online, a conversão de ação de marketing em vendas pode ser imediata, diz Wiedmann. 

As redes sociais ainda ampliam o engajamento dos consumidores, afirma. “O público cria um relacionamento com a marca”, destaca. Essa relação é delicada, e pode representar riscos para a imagem da companhia, alerta. 

E por que não?

Wiedmann afirma que muitas empresas começam a fazer ações digitais por considerar que elas serão mais baratas do que ações em meios tradicionais (TVs, rádios, impresso, mídia exterior). “Existe uma diferença entre mais barato e menos caro. Fazer marketing digital pode ser menos caro”, comenta. 

Ele explica que ações na internet também geram despesa e, dependendo da complexidade, podem exigir estruturas próprias de criação, planejamento e desenvolvimento de veículos próprios. 

Outra armadilha para as empresas é acreditar que qualquer pessoa pode fazer esse tipo de ação. “Estar presente no mundo digital gera uma série de riscos que podem comprometer uma marca. A empresa não confiaria em um profissional sem qualificação para representá-la em canais off line, por isso não deve fazer o mesmo quando estiver on line”, defendeu. 

A terceira motivação errada é fazer marketing digital para parecer mais moderno e “descolado”, conforme citou Wiedmann. “Nem todas as marcas precisam estar presentes nas redes sociais. Fazer uma fan page para aparentar ser diferente, não basta, o conteúdo é fundamental”, disse. 

Atendimento 

Quem realiza ações de marketing digital tem que preparar também sua equipe para atender aos consumidores que interagem na internet, aconselha Wiedmann. 

Um exemplo são as ações no Foursquare, rede social na qual as pessoas são incentivadas a mostrarem os locais que freqüentam. “O cliente está em um restaurante que lançou uma promoção no Foursquare na qual aqueles que fizerem check in ganharão uma sobremesa. Se o garçom deste restaurante não souber desta ação, suas condições e não for treinado para atender clientes que participem, não adiantará de nada”, exemplificou.

Panorama de Marketing em Pernambuco

A 9ª edição do evento da Amcham-Recife reuniu cerca de 90 gestores dos segmentos de comunicação e marketing de empresas associadas à entidade. Realizado em um cinema do Shopping Recife, o encontro contou ainda com palestras das agências hagua Comunicação, Ampla e Gruponove.

Leia mais

Galinha Pintadinha, do Youtube para as prateleiras das lojas

Smartphones e redes sociais são cada vez mais canais de venda

Mapa da cidade auxilia no planejamento em comunicação

registrado em: