Especialista fala sobre a diferença entre contatos e conexões e dá dicas de como fazer networking

por lays_shiromaru — publicado 17/02/2014 14h13, última modificação 17/02/2014 14h13
São Paulo – Ajudar os parceiros de trabalho sempre que possível e trabalhar a própria imagem em redes sociais são alguns dos conselhos

Para algumas pessoas, a mera troca de cartões profissionais é networking. Já para o consultor Airton Carlini, que esteve na Amcham em 13/02 para palestra ao comitê de Secretariado, isso é apenas um contato. “Na relação de contato, os indivíduos não se conhecem bem e não há credibilidade mútua entre eles. É um relacionamento superficial”, diz.

Para ampliar o networking, o consultor conta que é preciso fazer conexões, isto é, construir relacionamentos profundos e de confiança, que gerem referências profissionais posteriormente.

De acordo com Carlini, a chave do networking está em saber se comunicar e se esforçar. “Ninguém nasce sabendo a maneira ideal de se comportar em cada momento e não há nenhum problema com isso”, diz. “A vergonha está em não querer aprender.”

Uma dica do consultor é ajudar os parceiros de trabalho sempre que possível. “Mesmo que você não consiga fazer exatamente o que o time precisa, dê o máximo de si”, aconselha. Além do apoio aos colegas, é preciso saber trabalhar em conjunto para procurar alternativas na solução dos problemas.

Outra dica é trabalhar a própria imagem em redes sociais, como Linkedin, Twiter, Facebook, entre outros, uma maneira de manter os relacionamentos profissionais ativos. Ele ainda recomenda que a pessoa se mantenha atualizada sobre assuntos profissionais ou cotidianos.

registrado em: