Estratégias de prevenção são principal cuidado para evitar fraudes corporativas

por giovanna publicado 30/11/2011 16h34, última modificação 30/11/2011 16h34
Recife – Além de danos financeiros, as fraudes podem causar problemas na gestão e no clima organizacional.
foto_georg_frey.jpg

As fraudes corporativas acontecem em diversas escalas e podem ir de desvios de dinheiro e produtos a espionagem e sabotagem industrial. Para evitar esses problemas, principalmente os originários no ambiente interno, é necessário aplicar estratégias de prevenção, recomenda o criminólogo Georg Frey, sócio da Drago Auditoria Investigativa.

“Uma estratégia bastante procurada pelas empresas atualmente é o estudo de compatibilidade entre salários e padrão de vida dos funcionários. Fazemos um levantamento de quanto um colaborador recebe e comparamos com viagens realizadas, destinos, carro, celular e outros elementos que mostrem se o padrão de vida é condizente com o ganho dessa pessoa. Se não há compatibilidade, pode estar acontecendo algum tipo de fraude”, comentou Frey, que participou do evento Psicologia da Mentira, realizado pela Amcham-Recife nesta quarta-feira (30/11).

Ele explica que essa técnica é aplicada a apenas uma parcela dos funcionários e geralmente em departamentos onde há maior risco de fraudes, como financeiro e de expedição de produtos.

Para o especialista, além dos danos financeiros, o impacto de uma fraude pode ser negativo na gestão da companhia. “Um gestor que descobre que seu sócio, por exemplo, não é confiável, tende a replicar isso para toda a empresa, criando um clima pesado que influencia até mesmo a produtividade da equipe”, comentou.

Frey estima que a maior demanda por serviços de inteligência contra fraudes é proveniente da indústria.De acordo com ele, os casos mais comuns têm sido os de vazamento de informações confidenciais sobre lançamentos de novos produtos ou serviços por uma companhia.

Identificando mentiras

De acordo com o especialista, o ser humano conta cerca de 200 mentiras sociais, aquelas mais leves e inofensivas, diariamente. “Esconder a verdade quando é conveniente faz parte do comportamento humano. Identificar isso requer entender como o corpo reage ao dizer uma mentira”, apontou Frey. Ele vê na leitura de gestos e comportamentos a maneira mais fácil de identificar quando alguém mente.

Dentre as principais maneiras para realizar essa identificação, estão a observação da movimentação de boca, sobrancelhas e olhos de uma pessoa, até como ela posiciona braços e pés quando conta uma mentira.

“O caminho mais eficaz é a observar olho no olho a pessoa enquanto conversa. Pessoas com tendência a contar uma mentira evitam encarar os olhos de seu interlocutor. Além disso, ao serem questionadas sobre algo, costumam voltar seus olhos para a direita”, comentou. Frey explica que o movimento ocular para a direita representa a ativação do lado do cérebro responsável pela imaginação, ou seja, a pessoa estará criando sua resposta e não se reportando a algo real.

registrado em: