Foco do profissional de TI deve ser o desenvolvimento de alianças na empresa

publicado 02/09/2014 14h21, última modificação 02/09/2014 14h21
Campinas - CIO Meeting reuniu principais profissionais de tecnologia da região para discutir a importância da integração corporativa
cio-meeting-8867.html

O profissional de Tecnologia da Informação (TI) é cada vez mais estratégico para o desenvolvimento, competitividade e sustentabilidade de uma empresa, porém o relacionamento desta área com os demais setores da organização ainda é uma barreira no processo de rompimento do patamar de suporte operacional/técnico para estratégico e de governança.

“Não é possível definir a área de TI, ela faz parcerias com o negócio. Nosso papel é muito mais que receber uma demanda e executar, é parte da estratégia geral da empresa”, afirma Rogério Martins, CIO da Elektro. Para ele, que participou do CIO Meeting da Amcham-Campinas em 29/8, o profissional de tecnologia realiza um trabalho que nem sempre é palpável como o de outras áreas, e essa é uma das razões pelas quais as relações deste profissional com as demais áreas e até mesmo com a empresa como um todo são difíceis de serem estreitadas.

A tecnologia hoje é fundamental em qualquer modelo de negócio. Muitas empresas e marcas são consolidadas hoje no mercado, mas amanhã podem ter sua atuação ameaçada, caso não acompanhem os avanços tecnológicos da sociedade. “O profissional de TI conecta esta área com os serviços que a empresa oferece. É um dos profissionais necessários em qualquer realidade de negócio, independente do segmento das áreas”, completa Rogério Martins.

Outro desafio deste tipo de profissional, segundo Elber Reis, CIO da Nike, é creditar valor ao seu trabalho. “Dentro das empresas, somos vistos como o que carrega as más notícias e o que gera gastos para a empresa”. Para mudar esta realidade, o executivo da Nike afirma que é preciso realizar colaborações notáveis para a empresa, e apesar do cenário, esta não é uma tarefa tão difícil.

“Para conseguir os investimentos e a notabilidade que precisa, o T.I deve facilitar a vida de seu CEO, entrar na agenda dele e realizar adaptações para que ele ganhe tempo, e que seu dia a dia seja facilitado”, aconselha Elber Reis.

A criação de alianças com outras áreas e o bom relacionamento com elas também é apontado como um bom caminho para o profissional de T.I criar raízes e se tornar essencial na empresa.

Além dessas medidas, o T.I pode ainda conquistar confiança e credibilidade cumprindo ideais básicos da área, como trabalhar com prazos e cumpri-los e saber falar a linguagem dos negócios também.

Renê Marzagão, convidado especial do evento e CFO da Eaton, apontou ainda outro ponto chave que pode ajudar no desenvolvimento e na solidificação da área de T.I nas empresas. “As novas medidas governamentais fazem com que o T.I seja mais que essencial, o e-social, por exemplo, fez com que a área precisasse revisar diversas ferramentas que com as novas medidas passam a ficar ultrapassadas, e nessa revisão conseguiram transformar um grande problema para a empresa em uma chance de otimizar e transformar suas ferramentas e processos.” 

registrado em: