Geração Y tem grande potencial para atuar na área de vendas

por mfmunhoz — publicado 02/11/2010 10h56, última modificação 02/11/2010 10h56
São Paulo - Suas características, como facilidade de comunicação e relacionamento, são indispensáveis a esse tipo de trabalho.
materia.jpg

Os jovens da geração Y (nascidos entre as décadas de 80 e 90) reúnem uma série de características, como disposição para aceitar desafios, gosto pela inovação e facilidade de comunicação e relacionamento, favoráveis à atuação na área de vendas. Companhias que desejam alavancar o faturamento devem investir para atrair e reter esses profissionais, recomendou Danilca Galdini, sócia-diretora da Next-View People, consultoria especializada em mapear tendências de Recursos Humanos na América Latina.

“São jovens que sabem construir relacionamentos duradouros, divulgar bem as informações e têm alta capacidade de interação e disposição que, se corretamente aplicadas, podem impulsionar as áreas de vendas e trazer muitos benefícios aos negócios – ainda mais se olharmos para as oportunidades de mercado que estão aparecendo e para a atual carência de recursos humanos no País”, destacou Danilca, que falou ao comitê estratégico de Diretores Comerciais da Amcham-São Paulo nesta quarta-feira (20/10).

A sócia-diretora da Next-View People explicou que os departamentos comerciais têm forte relação com a geração Y devido ao foco no desempenho individual e ao uso de políticas de meritocracia (remuneração, bônus, premiações), aspectos muito valorizados pelos integrantes dessa faixa etária, que querem ascender pessoal e profissionalmente de forma rápida, além de atuar em setores que possibilitem contribuições à organização e à sociedade.

Políticas de atração e retenção

Para atrair a geração Y para a área comercial e retê-la, são necessários cuidados desde a decisão de contratação. “Começa pelo departamento de Recursos Humanos, que tem de entender quem eles são, aprender a lidar com eles e ensinar à organização a como trabalhar com esse público, avaliando sempre se realmente essas são as pessoas ideais para atuar na empresa”, aconselhou Danilca.

Ela sugere também que, além de remuneração e benefícios, haja esforços para mostrar resultados e feedbacks, investimentos em ambiente e desenvolvimento de políticas internas de reconhecimento no longo prazo construídas em conjunto.

Algumas das propostas de Danilca para atração e retenção desses profissionais, extraindo todo o seu potencial, são:

  • Repensar a autoridade: em certas ocasiões, o líder poderá ser o aluno e o jovem, o professor;
  • Ser um facilitador: é preciso oferecer coaching, feedbacks constantes e oportunidades de aprendizado contínuo;
  • Redesenhar as estratégias de recrutamento: remodelar as contratações, iniciando relações de longo prazo;
  • Tirar proveito dos canais de interação: permitir acesso a redes sociais e redefinir estratégias de gestão e layout do escritório para estimular o trabalho colaborativo.


“É necessário estimular a aproximação junto aos jovens, com iniciativas que permitam mudar o olhar deles sobre a empresa. Assim, eles começarão a avaliá-la de outra forma, o que permitirá atrair futuros colaboradores e ganhar novos admiradores. Esse processo pode inclusive funcionar como uma estratégia de marketing para buscar outros profissionais qualificados que estejam de alguma forma próximos aos colaboradores da geração Y”, disse Danilca.

registrado em: