Inovação deve ser estimulada sobretudo em momentos de crescimento econômico

por giovanna publicado 17/11/2011 12h31, última modificação 17/11/2011 12h31
Curitiba – Nessas fases, há maior disponibilidade de recursos e possibilidade de assumir riscos, explicam consultores.

Cada vez mais se reconhece a importância da inovação para a sobrevivência das empresas. Mas a estratégia de investir na área deve ser levada em conta de modo especial em momentos de crescimento econômico, quando há maior disponibilidade de recursos e possibilidade de assumir riscos, defendem Eloi Zanetti e Jean Sigel, consultores de Marketing e fundadores da Escola de Criatividade.

“As empresas têm de estar o tempo inteiro se revendo. Somente assim, surgirão novos produtos, processos, ideias e serviços”, afirmou Zanetti no Encontro de Empreendedores promovido pela Amcham-Curitiba na sexta-feira (11/11). 

Zanetti e Sigel destacaram ainda a importância de atrelar a criatividade ao ambiente corporativo. Isso porque a criatividade é responsável por grande número de ideias e tentativas que posteriormente resultam em inovação de processos internos e produtos.

“Hoje, não há empresa que não se questione como ser inovadora”, assegurou Carmem Murara, gerente de Comunicação Institucional do Grupo Paranaense de Comunicação, que também participou do evento.

Case e desafios

Carmem apresentou, ao lado de Fábio Oliveira, gerente corporativo de Desenvolvimento Organizacional do Grupo Paranaense de Comunicação, o projeto de incentivo à criação de práticas de inovação adotado pela companhia. Com um banco de dados que possibilita a colaboração dos funcionários, em apenas um ano a campanha foram obtidas 217 sugestões, tendo 15% desse total já sido implementados pela empresa.

Um dos principais desafios para o êxito do projeto foi o estímulo à participação de grande número de funcionários. Para atingi-lo, a empresa permitiu o acesso à ferramenta a todos os níveis hierárquicos e ainda decidiu premiar as melhores iniciativas.

“O papel do gestor também é um fator para o sucesso do projeto”, acrescentou Oliveira. O consultor Zanetti, na mesma linha, complementou que, para obtenção de bons resultados satisfatórios em projetos de inovação, é necessário que os líderes realmente incentivem e ouçam a colaboração de todos os trabalhadores, independentemente do cargo que ocupem.

Outro desafio importante lembrado pelos palestrantes, do ponto de vista externo à companhia, é enfrentar o excesso de burocracia e a alta carga tributária do País, que inibem os investimentos em inovação. “O povo brasileiro é empreendedor. Quem trava a maior inovação nas empresas é o Governo”, criticou Zanetti.

registrado em: