Líder tem que ser o melhor amigo da mudança, diz Ram Charan

publicado 11/06/2019 11h08, última modificação 11/06/2019 11h08
São Paulo – É preciso estar atento ao redor, disse um dos maiores especialistas mundiais em liderança e gestão
Ram Charan palestra durante CEO Fórum de São Paulo.jpg

Ram Charan palestra durante CEO Fórum de São Paulo

Os próximos desafios tecnológicos e de mercado precisam ser encarados com naturalidade e aprendizado, defende o consultor e professor de Harvard Ram Charan. “Faça da mudança a sua amiga. Vocês ouviram um monte de coisas sobre mudança de hábitos e mudança constante. Todas são maravilhosas. Mas vamos falar sobre como acelerar e mudar. E, com isso, fazer da mudança um hábito.”

Charam é um dos maiores consultores mundiais de liderança e gestão, já tendo prestado serviços a multinacionais como General Eletric, Ford e Google. Ele esteve no Brasil a nosso convite, participando com exclusividade de quatro edições do CEO Fórum. O diálogo sobre a mudança foi realizado em São Paulo, em 7/6, para um público de 500 presidentes e diretores de empresas.

A melhor forma de se preparar é estimular o aprendizado nas empresas e ficar atento ao que acontece ao redor, continua Charam. “As pessoas precisam entender. Observem as empresas, qual modelo estão aplicando e como elas estão fazendo grandes mudanças.”

O especialista propõe exercícios de reflexão sobre mudanças em toda a empresa. Em um exercício diário de dez minutos, não só o líder, mas as equipes precisam exercitar uma mentalidade contínua que permita a mudança. “É sobre o que está mudando para o consumidor. Faça sua própria consulta sobre o que está mudando para os consumidores. O que está mudando para o consumidor? Como ele está mudando?”

Depois repita os questionamentos para grupos maiores dentro da empresa. “Discuta com o grupo. Se essa mudança continuar, quem vai se beneficiar e quem vai se machucar. O propósito é mostrar que agora o poder passou a cada um de nós”, argumenta.

Isso vai incentivar a colaboração. “Faça isso todo mês com pessoas diferentes. Construa a mentalidade de mudança em seu time. Eles mesmos trarão novas ideias da próxima vez, e assim por diante.”

Líderes fazem a diferença

Como as mudanças são feitas por pessoas, é importante selecionar talentos para as posições chave. “São pessoas criativas, que não tem medo de errar e estão dispostas a experimentar coisas novas. Eles são os lideres do futuro”, atesta.

“Vocês têm que enxergar e escolher esses líderes. Nutrir eles e dar a liberdade de errar. Encontrem as pessoas que vão fazer isso por vocês (mudanças). Os mais jovens, por exemplo, esperam a chance deles.”

O especialista cita um conceito que diz que uma média de 2% das pessoas nas organizações trazem 98% do impacto. “Não é uma média exata. Mas, em uma empresa de mil funcionários, poderiam ser cinquenta”, argumenta. É preciso identificar logo esses talentos. “Nenhum CEO prospera sem um talento melhor que a concorrência. Descubram quem são os seus 2%”, disse Charam.

Afaste as pessoas tóxicas

Da mesma forma que é preciso identificar os colaboradores chave, também é preciso eliminar as pessoas que prejudicam a organização. “Em todas as empresas há pessoas tóxicas. Se estiverem em um jogo de alta velocidade e existir uma pessoa dessas no time gestor, qual o resultado? Retire essas pessoas.”

As pessoas tóxicas podem ser identificadas pelo egoísmo, centralização de informações e puxar o mérito da equipe para si. Mesmo que seja um profissional bem posicionado e com alta performance, dever ser afastado, insiste Charam. “Por mais que ele entregue resultados, está impedindo que outras pessoas consigam.” Em um cenário dinâmico, é preciso que toda a equipe esteja integrada e motivada para entregar resultados, disse o especialista.

 

registrado em: ,