Lideranças devem estar envolvidas para garantir sucesso de ginástica laboral entre funcionários

por giovanna publicado 30/09/2011 18h41, última modificação 30/09/2011 18h41
Recife – Benefícios das atividades vão de redução do stress a aumento da integração da equipe.

Motivar funcionários a praticar atividades de ginástica laboral requer principalmente envolvimento dos gestores, explica Raquele Cavalcante, sócia administrativa da Viver Bem Ginástica Laboral.

“Quando implantamos um programa de ginástica laboral, realizamos atividades de conscientização dos trabalhadores. Entretanto, sem o envolvimento dos líderes da empresa, incentivando e até mesmo fazendo os exercícios, não haverá sucesso”, destacou Raquele, que participou na quinta-feira (29/09) do comitê de Secretariado Executivo da Amcham-Recife.

Raquele cita que, entre os principais benefícios da ginástica laboral, se destacam a melhoria da integração entre funcionários e da disposição de cada um para o trabalho, assim como a redução do stress e das doenças ocupacionais.

Variedades

A especialista explica que há três categorias de ginástica laboral:

• Preparatória: atividades focadas no aquecimento do corpo para o trabalho. Indicada para funcionários que realizam atividades de grande esforço físico, como na construção civil;
• Compensatória: focada em ativar as estruturas corporais pouco utilizadas durante o trabalho. “Quem fica muito tempo em frente ao computador sobrecarrega os membros superiores e a coluna vertebral, enquanto pernas e pés ficam parados. Nestes casos, a ginástica compensatória é mais indicada”, comentou Raquele. Pessoas que trabalham em linhas de produção ou em escritórios, realizando esforços repetitivos, são as que mais se beneficiam dessa categoria;
• De relaxamento: conduzida no final do expediente para auxiliar os funcionários a relaxar os músculos e as estruturas corporais mais utilizadas durante o dia. Indicada para todos os segmentos de atuação.

Segundo Raquele, a frequência de realização das atividades varia de acordo com o objetivo de cada empresa. “Para a prevenção de doenças ocupacionais, recomenda-se fazer a ginástica todos os dias. Já se o objetivo for principalmente aumentar a integração dos funcionários, apenas duas ou três vezes na semana são suficientes”, finalizou.

 

registrado em: