Luiza Helena Trajano: “Você pode chorar, se lamentar ou buscar soluções"

publicado 30/11/2015 16h07, última modificação 30/11/2015 16h07
Recife - Na Amcham, Fundadora do Magazine Luiza ressaltou a necessidade de otimismo para superar a crise
luiza-helena-trajano-3252.html

“Você pode chorar, se lamentar ou buscar soluções.” Com seu jeito simples e direto, Luiza Helena Trajano, fundadora da rede varejista Magazine Luiza, vai direto ao ponto ao falar da crise no país: é preciso reclamar menos e fazer mais. A mentalidade da empreendedora tem dado resultados. Não é à toa que, apesar das diversas crises pelas quais o país passou do fim dos anos de 1980 para cá, a rede varejista Magazine Luiza só fez crescer, chegando ao patamar de R$ 12 bilhões de faturamento em 2014.

No “Almoço com Presidente”, promovido pela Amcham Recife na última sexta-feira, dia 27, a empresária abordou temas como empreededorismo e estratégias de digitalização de sua companhia para os próximos anos. O evento aconteceu no Arcádia Boa Viagem, contando com um público de mais de cem empresários e executivos pernambucos. 

Segundo Luiza, ainda há no Brasil uma mentalidade bastante pessimista, que afeta tanto os empreededores como os consumidores. “A crise atual é muito mais de confiança do que econômica”, opina. Ela conta que tem se empenhado pessoalmente para que a onda de desconfiança não interfira nos negócios. “Na Magazine Luiza não lemos jornal”, brincou.

Ainda falando sobre coragem para empreender, Luiza recomendou que os empreendedores “pensem ‘rico’”. Ou seja, para ela, é preciso ter criatividade e ousadia no momento de conceber estratégias e soluções para o negócio. “Na hora de agir é que se vai adequar suas ideias ao que pode ser feito”, diz. “O problema é que frequentemente se pensa ‘pobre’, mas se age como rico, o que gera uma inconsistência”, completa.

A empresária contou ainda que o sucesso do Magazine Luiza se deve em grande parte à frequente busca por adaptação e inovação. Tanto que a rede aposta pesado agora em sua inserção na era digital. Luiza Helena Trajano contou que a rede tem projetos para que, até o próximo ano, seus vendedores contem com auxílio de smartphones para o atendimento. 

Ela também cometou que os investimentos na digitalização da marca acarretaram uma mudança inclusive em relação ao marketing. “Estamos estimulando os vendedores a fazer vídeos promocionais usando os próprios celulares. Eles adoram e se divertem, além do que os melhores vídeos ainda são premiados”.

registrado em: