São Paulo – Para IBM, alinhamento entre propósitos e ações é uma das chaves para o sucesso

Marcas representam 40% dos ativos de empresas

publicado 26/09/2013 13h40, última modificação 26/09/2013 13h40
São Paulo – Para IBM, alinhamento entre propósitos e ações é uma das chaves para o sucesso
daniella-giavina-bianchi-5203.html

Enquanto na década de 70 a marca correspondia a apenas 10% do valor da empresa, hoje ela representa 40% dos ativos, prova de como o desenvolvimento de branding tem se destacado entre as ferramentas para consolidação das organizações.

O tema foi discutido na última reunião do Comitê Aberto de Marketing da Amcham, em 24/09, que contou com a presença de Daniella Bianchi, diretora executiva da Interbrand, Fabiana Galetol, responsável por Branding e Comunicação Externa da IBM Brasil (confira aqui a apresentação completa), Diogo Guimarães, gerente de Brand Marketing da Adidas Brasil, e Suzane Strehlau, professora da ESPM.

As marcas, alinhadas à estratégia de negócio, podem contribuir com a identificação de produtos, com a construção de relacionamentos, e até com a atração e a retenção de talentos na empresa. No entanto, Daniella defende que o maior desafio não é criá-las, e sim gerenciá-las. “É importante engajar colaboradores e clientes, e apresentar coerência no propósito e na linguagem”, diz. “A marca ganha vida por meio de muitos pontos de contato. Quando bem geridos, esses pontos são capazes de criar identificação, fidelidade e valor, por isso a consistência deles é fundamental.”

Para Fabiana, que teve vasta experiência em Gestão de Pessoas, é importante que o engajamento no propósito da marca venha “de dentro para fora”. A IBM, atuante no segmento B2B, utiliza o alinhamento do discurso interno e o engajamento dos colaboradores como uma ferramenta para levar seus valores e sua cultura ao consumidor final. “Somos 430 mil colaboradores, espalhados pelo mundo, e o sucesso das nossas vendas também se deve à contribuição de toda a empresa”, conta.

O Grupo Adidas, líder na indústria de artigos esportivos, também se preocupa em manter o alinhamento entre o propósito da marca e as ações voltadas para responsabilidade social. A companhia formou parceria com a Fundação Gol de Letra, fundada pelos ex-jogadores de futebol Raí e Leonardo, para desenvolver o projeto Ginga Social, que realiza atividades esportivas e socioeducacionais para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. “É preciso olhar para o DNA da marca e seus atributos ao realizar qualquer ação”, diz.

A seguir, a íntegra da apresentação de Fabiana Galetol, da IBM, no comitê aberto de marketing da Amcham-São Paulo, em 24/09: 


 






registrado em: