Meditação é forma simples de melhorar desempenho na organização, indica monge budista

por andre_inohara — publicado 06/06/2011 16h18, última modificação 06/06/2011 16h18
São Paulo – Alguns minutos ao longo do dia exercitando o controle da respiração e a ausência de pensamentos baixam o stress e incentivam a reflexão.
michel_rinpoche.jpg

Por mais agitado que seja um dia de trabalho, sempre é possível encontrar alguns minutos para fazer uma pausa e meditar. Isso ajuda a restabelecer o equilíbrio emocional, que é essencial para tomar decisões mais produtivas.

“As pessoas acham tempo para fazer muitas coisas, mas não para meditar. A meditação leva à calma, o que ajuda a melhorar a concentração”, disse o lama budista Michel Rinpoche, em participação em café da manhã realizado nesta segunda-feira (06/06) na sede da Amcham-São Paulo.

Ele acrescentou que é possível ser uma pessoa extremamente ativa para fazer as coisas rapidamente e, simultaneamente, ter calma. "A ideia de que a meditação leva uma pessoa à inércia e à passividade não é verdade”, garantiu.

Rinpoche disse que para meditar é necessário apenas alguns minutos de manhã, à tarde ou à noite. Basta se sentar em um lugar silencioso e respirar pausadamente com a coluna reta, os ombros relaxados e os olhos semicerrados. “Afaste qualquer pensamento da mente por dois ou três minutos. Não estamos falando de práticas que duram horas”, ensinou.

Desequilíbrio

O dinamismo das mudanças obriga as pessoas a fazerem mais coisas em menos tempo, o que acelera o desequilíbrio entre os pensamentos racionais e o envolvimento emocional. Isso acontece quando a sobrecarga de afazeres diários provoca um desgaste maior do que o tempo necessário para se recuperar.

“As pessoas correm de uma tarefa para outra, mas a parte emocional – tensão, calma, satisfação – não acompanha esse ritmo com a mesma rapidez. Isso deixa as pessoas insensíveis ou hipersensíveis. E é importante haver espaço para elaborar nossos sentimentos”, comentou.

Meditação incentiva a reflexão

Uma das funções da meditação é trazer reflexão, e sua prática é muito útil no mundo corporativo, diz Rinpoche. “Se as empresas estimulassem o uso do silêncio de pelo menos um minuto antes das reuniões, ajudariam as pessoas a pensar antes de falar.”

Todo conflito é gerador de estresse, e sua eliminação consiste na adoção de atitudes internas adequadas. Além disso, os problemas fazem parte do desenvolvimento pessoal e sempre existirão. “Não existe uma situação perfeita onde todos os problemas são resolvidos.”

A busca pela felicidade

Segundo Rinpoche, todas as pessoas buscam a felicidade. “Ela é um estado interior, e não uma condição externa. É o momento onde não quero que nada seja diferente do que é”, comenta. “Se quero uma vida saudável, tenho que dar os passos rumo a esse objetivo.”

“Temos potencial para nos relacionar com mais paciência, amor e humildade”, continuou o monge. A busca por uma condição de vida estável passa por autenticidade de caráter e firmeza de propósito.

“Dinheiro faz parte da vida, não é errado acumular. O problema ocorre quando isso se torna um objetivo, e não o meio. O importante é ser sincero consigo, reconhecendo os defeitos e qualidades próprias”, afirmou.

O monge disse que, muitas vezes, as pessoas tentam mudar sua personalidade para conseguir vantagens em empregos ou relacionamentos novos. “Manter a realidade paralela de outra imagem pessoal é cansativo”, alertou.

registrado em: