Melhoria da educação demanda articulação entre empresas e governo

por giovanna publicado 04/11/2010 18h42, última modificação 04/11/2010 18h42
Papel do terceiro setor também é fundamental, sustenta coordenador de programa na área.

Cada vez mais se vêm iniciativas de empresas no sentido de contribuir para a melhoria do ensino e a redução do déficit de mão de obra qualificada no País. Essas ações, contudo, de nada adiantarão se ocorrerem de forma isolada. É preciso maior articulação entre iniciativa privada, poder público e terceiro setor, sustenta Ricardo Burgos, gerente de RH da Scholle.

 

“A educação no Brasil só mudará com a participação do setor público, do terceiro setor e do setor privado. A engrenagem não se moverá apenas com um desses segmentos” disse Burgos, que participou do comitê Estratégico de Gestão de Pessoas da Amcham-Campinas nesta quarta-feira (06/10).

 

O gerente fala por experiência, por coordenar o “Programa Escola de Pais, criado em maio pela Scholle em parceria com a Amcham, outras companhias e a ONG Compromisso Campinas pela Educação (CCE). O objetivo é engajar os pais para atuar na educação dos filhos e consequentemente motivar os estudantes para o aprendizado.

 

“É difícil para uma empresa influenciar um projeto público de melhorar a educação, mas ela pode fazer a lição dentro de casa”, indicou Ricardo. Ele recomendou também que as companhias e o terceiro setor cobrem do poder público atuações de incentivo na mesma direção.

 

 

registrado em: