Nos próximos anos, 45% do crescimento de consumo no Brasil virão de cidades do interior, diz BCG

por lays_shiromaru — publicado 24/07/2015 14h56, última modificação 24/07/2015 14h56
São Paulo – Municípios com menos de 50 mil habitantes representarão 25% desse crescimento

As cidades do interior serão responsáveis por 45% do crescimento de consumo no Brasil nessa década, de acordo com a diretora do Boston Consulting Group, Flávia Takey. Municípios com menos de 50 mil habitantes representarão 25% desse crescimento, segundo ela.

“A maioria das empresas tem foco nas capitais e regiões metropolitanas, mas, na realidade, o consumo da população vai crescer em cidades bem pequenas”, afirmou, em reunião dos comitês estratégicos de Vendas e Diretores Comerciais da Amcham-São Paulo, na quarta (22/7).

Para Eduardo Leone, sócio do BCG e também participante do comitê da Amcham, “as empresas precisam se antecipar às tendências de consumo e aproveitar oportunidades de desenvolvimento”.

O segmento de telecomunicação é um dos que tem muitas chances de expansão no interior. “Banda larga não é um serviço muito contratado nessas cidades menores. Vemos isso como um gap para as empresas do ramo”, diz Flávia.

Há oportunidades também no setor de varejo. De acordo com o estudo Brazil’s Next Consumer Frontier, do BCG, cerca de 1400 cidades que contam com mais de 5 mil negócios cada não têm supermercados das 20 principais cadeias do país. 

O mercado de luxo é outro que deve aproveitar o interior, segundo o grupo. Embora os serviços bancários estejam disponíveis em praticamente todo território brasileiro, quase 5500 cidades não têm sucursais dedicadas exclusivamente à oferta de serviços financeiros premium. “A renda das classes média e alta do interior é quase 20% maior do que das famílias das capitais e regiões metropolitanas”, comenta.

Para o BCG, a falta de infraestrutura adequada e de vendas online eficientes são dois pontos que dificultam a expansão das empresas no interior do país. 

registrado em: