O que a melhor empresa para se trabalhar no mundo tem a dizer sobre Employer Branding

publicado 21/02/2020 15h40, última modificação 21/02/2020 15h40
Rio de Janeiro – Conheça cases de organizações que têm total foco no colaborador
Tassia Galvao Innovation Program Manager da Cisco explica como o marketing pode reter talentos.jpg

Tássia Galvão, Innovation Program Manager da Cisco, explica como o marketing pode reter talentos

A experiência e o bem-estar dos funcionários são preocupações cada vez mais frequentes nas grandes companhias. Engana-se, no entanto, quem pensa que a função é restrita ao departamento de Gestão de Pessoas, já que as iniciativas mais eficazes são resultado da sinergia entre diversos setores. O Marketing é uma das áreas que mais pode contribuir, aplicando as estratégias utilizadas para fidelizar os clientes com foco em um público ainda mais exigente e fundamental para o negócio: o interno.

Com tantas empresas no mercado competindo pelos melhores profissionais, o Employer Branding é fundamental na retenção de talentos. “Estamos atuando há 25 anos no Brasil e não são poucas pessoas que trabalham há mais de 20 anos com a gente. É muito difícil alguém se demitir para seguir com novos projetos, mas quando acontece, é bem comum voltarem”, conta Tássia Galvão, Innovation Program Manager da Cisco. Mas qual o segredo da companhia que foi eleita como a melhor empresa para se trabalhar em 2019 pela Great Place to Work?

“Embora a Cisco já tenha muitos anos de atuação, o trabalho não é nada tradicional: nossos escritórios são descolados e personalizados de acordo com a cultura do país. Além disso, temos a filosofia do anywhere office, que prega que o colaborador pode trabalhar de casa ou de onde quiser”, explica. “Mas isso não chega nem perto do suficiente para fazer o funcionário se engajar na companhia”, acrescenta.

 

MOMENTS THAT MATTER

Para incentivar o envolvimento total dos colaboradores, a Cisco elencou uma série de atitudes chamadas de Moments that matter. “A empresa tem compromisso com ações sociais e nossos funcionários são tão engajados que tiram dinheiro do próprio bolso para participar das atividades”, comenta Tássia. Conheça os momentos que importam no Employer Branding da Cisco:

 

  • Comunidade

Faça com que seu colaborador se sinta parte integrante da empresa.

  • Foco no ser humano

Atrás de cada cargo existe uma pessoa. Dê confiança para ter confiança e sempre escute o que as pessoas têm a dizer.

  • Facilite o diálogo entre os funcionários

Crie grupos para que eles possam discutir e trocar experiências sobre assuntos da própria vida, como maternidade, diversidade, problemas de saúde, entre outros.

  • Primeira e última impressão

Garanta que não só o primeiro dia seja inesquecível, mas que a demissão também seja sensível e marcante para o colaborador.

  • Incentive a inovação

“Na Cisco, projetos inovadores dos funcionários podem ser desenvolvidos. Quando uma iniciativa é selecionada, o idealizador passa três meses na sede para aperfeiçoá-la”, conta Tássia.

  • Gestão inspiradora

Todos os líderes devem receber treinamentos para motivarem sua equipe.

  • Premiação

Se um colaborador se destaca, por atingir alguma meta, por exemplo, recompense-o! Faz toda a diferença.

  • Invista no desenvolvimento dos funcionários

Workshops, palestras, cursos e até uma “universidade da empresa” são essenciais para capacitar os colaboradores.

  • Ações na bolsa

“Como a Cisco é uma empresa de capital aberto, funcionários têm descontos e vantagens para comprar ações”, comenta a gerente.

 

O COLABORADOR TEM SEMPRE A RAZÃO

Não importa o tamanho, nem o ramo da organização, para um Employer Branding eficaz, o primeiro passo é ouvir o que o colaborador tem a dizer. Atuando há 120 anos no mercado jurídico, o escritório Dannemann Siemsen passou, em 2018, por um processo de rebranding. “Assim percebemos que os funcionários viam o escritório como um mero espaço de trabalho, não interagiam muito entre si e tampouco nos mencionavam nas redes sociais”, conta Natascha Brasil, head de marketing.

De acordo com ela, a primeira medida foi a criação de comitês, em que os funcionários trocam experiências e expõem suas opiniões sobre as mudanças necessárias na empresa. “Além disso, começamos a promover palestras e grupos de discussão sobre temas relevantes para o escritório, como diversidade, liderança, entre outros”, acrescenta. O fortalecimento de ações sociais e de bem-estar e a inclusão dos funcionários nas decisões da empresa, como o planejamento da festa de confraternização, foram responsáveis pela mudança do clima interno e o aumento do engajamento.

Para Natascha, isso é fundamental para atrair novos funcionários. “É proibido para um escritório de advocacia fazer publicidade, então contamos bastante com o boca-a-boca dos colaboradores. Quando alguém quer trabalhar em uma empresa, a primeira coisa que ela faz é pedir a opinião de alguém que já está lá dentro. Os colaboradores passaram a assumir o papel de construtores da marca”, resume. “Employer Branding é um projeto que nunca acaba, sempre tem algo para se melhorar. Mas não dá para ser uma boa marca empregadora se não ouvimos e não confiamos no funcionário, conclui.

 

O que é?

O Comitê de Marketing empenha-se em discutir as melhores práticas na área, através de um benchmarking qualificado e exclusivo. A troca de informações, a apresentação de cases e a identificação de novas oportunidades de negócios pautam as ações do grupo.

Para quem?

As reuniões do comitê são exclusivas para sócios atuantes na área de Marketing, com limite de dois participantes por empresa associada.

Como funcionam?

As reuniões acontecem bimestralmente na Amcham Rio com duração de aproximadamente 2 horas. Durante os encontros, os membros do comitê recebem um conteúdo vanguardista em formato de palestra e em seguida, discutem o tema com a oportunidade inclusive direcionar suas dúvidas aos especialistas convidados.