Os ensinamentos de empresas tradicionais como a Embratel para prosperar na era digital

publicado 25/06/2019 15h33, última modificação 25/07/2019 15h20
Fortaleza – Além da Embratel, CEO Fórum reuniu executivos da Citi Brazil e da TozziniFreire Advogados para falarem sobre inovação e legado
CEO Fórum Fortaleza 2019.jpg

CEO Fórum Fortaleza 2019 Inovação e Legado

Até 2020, 54% das empresas aumentarão seus gastos com TI. O dado é de um estudo feito pelo site norte-americano Business Insider e apresentado pelo Presidente da Star One e Diretor Executivo na Embratel, Gustavo Silbert, durante o CEO Fórum de Fortaleza. 

Além disso, 40% das empresas globais terão um time de lideranças digitais, haverão 24 bilhões de smartphones conectados, U$ 6.3 trilhões de investimentos em tecnologia e 25% das empresas globais terão programas de treinamento digital. “Para a transformação, a tecnologia é o meio e não o fim”, indica Silbert.

Além do líder da Embratel, o evento contou com a presença da Conselheira e sócia da TozziniFreire Advogados, Maria Elisa Verri, do CCO Citi Brazil e Conselheiro Amcham Brasil, Marcelo Marangon, e do Presidente do Conselho da J. Macêdo, Amarílio Macêdo.

Marangon citou a relação das novas gerações com a tecnologia e deu cinco diagnósticos iniciais para as empresas prosperarem na era digital. Dados indicam que 50% dos Millenials comprariam um produto para apoiar uma causa e adotam novas tecnologias 2,5 vezes mais rápidos que outras gerações.

Além disso, 40% da nova geração querem participar da co-criação de um produto ou de uma empresa. “Millenials buscam um propósito no seu trabalho e querem contribuir para um mundo melhor”, afirmou. Com isso, na visão dele, existem cinco passos iniciais para adaptação das empresas:

1.       Compartilhar o propósito da empresa

2.       Criar um senso de urgência

3.       Envolver o maior número de pessoas em todos os níveis da organização

4.       Empoderar o time para fazer mudanças

5.       Celebrar sempre as conquistas

Como exemplo, a Tozzini Freire Advogados criou o ThinkFuture, programa de inovação da empresa. O projeto é dedicado a planejar e desenvolver soluções inovadoras; estimular a mudança de mindset interno; promover a transformação digital, e aprimorar o expertise em temas que envolvem tecnologia disruptiva.

Segundo Elisa, o escritório de advocacia trabalhou cinco eixos de transformação durante o programa: espaços, tecnologia, eventos, parcerias, cultura e acadêmico. Ela acredita que essas são as megatrends que vão desafiar as empresas a se reinventarem. “Somos todos um ecossistema”, finalizou.