Pequenas e médias companhias listam desafios para aderir à governança corporativa

por daniela publicado 16/06/2011 16h46, última modificação 16/06/2011 16h46
São Paulo - Em workshop na Amcham, empresários disseram que ainda falta conhecimento profundo sobre o tema.

As pequenas e médias empresas reconhecem uma série de aspectos a serem superados para a adoção da governança corporativa de forma estruturada em seus negócios. Os 26 representantes de companhias desse porte que participaram do Workshop de Governança Corporativa promovido pela Amcham-São Paulo nesta quinta-feira (16/06) disseram que os conhecimentos sobre o assunto ainda são incipientes.

"As pequenas e médias empresas empresas ainda não têm conhecimentos profundos sobre governança. Isso é um fato. O tema é relativamente novo no Brasil. Somente agora, as médias que querem ampliar suas operações passaram a buscar mais informações porque veem na governança um instrumento fundamental para atrair investimentos ", comentou Luiz Marcatti, sócio e diretor de Gestão da consultoria Mesa Corporate Governance.

De acordo com ele, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) tem apenas cerca de 15 anos de existência e os cursos de graduação de Administração no País não contemplam o tema de maneira consistente. O assunto é tratado com mais vigor nas pós-graduações. A governança corporativa está mais concentrada nas grandes corporações, especialmente as de capital aberto.

No workshop, o primeiro grande desafio identificado foi o fato de os gestores não saberem identificar, dentro de suas próprias estruturas, o nível de práticas de governança e os aspectos que devem ser aprimorados rumo a um modelo mais adequado em termos de transparência, equidade entre acionistas, prestação de contas e responsabilidade corporativa.

Nas organizações familiares, os participantes do evento comentaram as dificuldades para implementar gestão profissional e as políticas de sucessão. Vigora ainda a resistência de separar assuntos ligados à empresa das questões pessoais dos membros. 

Veja os desafios que foram listados :

• As empresas precisam conhecer o nível de governança corporativa dentro da sua própria estrutura.
•  Os membros de companhias familiares devem separar as questões pessoais das profissionais. Por exemplo, não destinar recursos das empresas para solucionar questões familiares.
• É fundamental eleger os integrantes da família que terão poder para decidir sobre questões estratégicas da empresa.
• É necessário estabelecer um Conselho de Família, que ficará responsável por gerenciar investimentos, questões logísticas e documentos dos herdeiros.
• Tem grande relevância estimular o diálogo para facilitar o consenso sobre os assuntos que envolvem a administração da empresa quando os responsáveis pela gestão apresentam formações diferentes.
• É recomendável que se institua uma política de sucessão aderente aos setores dos respectivos negócios, considerando regras e legislações específicas que precisam ser analisadas.

Nos casos de fusões e aquisições, que estão crescendo no Brasil, os participantes do workshop lembraram que é importante ter flexibilidade e adaptação à nova realidade e cultura organizacional.

registrado em: