Perfil dos profissionais em cargos de liderança no Brasil ainda está longe do ideal

publicado 13/11/2013 15h51, última modificação 13/11/2013 15h51
São Paulo – Pesquisa mostra que apenas 31% dos líderes das empresas entrevistadas têm capacidade de desenvolver talentos
alessandro-bonorino-da-ibm-8081.html

Uma pesquisa realizada pela Hunter Consulting Group, com mais de 300 executivos de empresas brasileiras e multinacionais, mostrou que o perfil dos líderes ainda está longe do ideal: 88% dos entrevistados citaram a capacidade de desenvolver talentos como competência mais desejada em um líder, mas apenas 31% disseram que suas equipes têm essa habilidade. Falta de disposição para assumir riscos e de capacidade para inspirar colaboradores também estão entre os problemas mais mencionados pelas organizações.

Para Alessandro Bonorino, vice-presidente mundial de Recrutamento da IBM, que falou ao comitê de Gestão de Pessoas da Amcham, na terça-feira (12/11), um passo importante para o desenvolvimento de lideranças é aprimorar a resiliência dos colaboradores, isto é, a capacidade de enfrentar eventuais adversidades e superá-las. “Para isso, é preciso saber fazer projeções para o futuro, que ajudarão a contornar as dificuldades e evitá-las”, diz.

Bonorino conta que a empresa também vem aproveitando a pluralidade cultural no desenvolvimento de seus negócios e dos colaboradores. “Para nós, a diversidade é uma estratégia de negócios, pois garante a troca de experiência entre os profissionais e impulsiona a constante inovação dentro da companhia”, afirma.

Outras medidas adotadas pela IBM – que ocupa a sexta posição entre as maiores referências em liderança, no ranking do Hay Group (Best Company for Leadership) – foram incentivar os líderes a se dedicarem mais ao desenvolvimento de seus próprios times, capacitando alguns profissionais para se tornarem sucessores posteriormente, e  investir no gerenciamento de talentos.

registrado em: