Pesquisa mostra que a maioria das organizações ainda não tem capacidade para gerir riscos

publicado 07/11/2013 13h51, última modificação 07/11/2013 13h51
São Paulo – Para Accenture, mesmo com o aumento de investimentos, a gestão de riscos ainda precisa ser aprimorada
riscos-foto01.jpg-6133.html

O crescimento significativo de riscos operacionais e estratégicos nos últimos anos tem mobilizado as empresas a investir cada vez mais nessa área. De acordo com pesquisa realizada pela Accenture em 2013, 98%  deram mais importância à gestão de risco, em comparação aos dois anos anteriores.

Na pesquisa, em que participaram 446 organizações privadas, de oito segmentos,  foi constatado também que, no ano passado, um quarto das empresas entrevistadas teve um aumento significativo – mais de 10% – do número de colaboradores em gestão de risco e que 96% delas têm um CRO, executivo sênior de risco.

“As empresas têm elevado o papel da gestão de riscos e integrado ela em suas estratégias corporativas para lidar com o ambiente de negócios atual, mais complexo e incerto”, diz Marcelo Oliveira, diretor executivo de Gestão de Risco da Accenture, que participou do Comitê de Finanças da Amcham na última quarta (06/11).

No entanto, mesmo com os investimentos na área, a pesquisa mostra que a maioria das organizações ainda não tem todas as capacidades necessárias para gerir esses riscos. Oliveira conta que apenas 29% dos entrevistados disseram ter plena capacidade de gerir atividades de risco em compliance e 28% em gerenciamento de reputação da marca.

“Ainda há muito para ser feito: as empresas precisam contratar e reter os talentos certos, além de melhorar sua capacidade de analisar dados e criar soluções inovadoras e eficientes”, afirma Oliveira. Para ele, “a gestão de riscos corporativos deve ter como foco assegurar mais valor para a empresa”.

 

registrado em: