Planejamento deve integrar gestão, finanças, inovação e estratégia

por giovanna publicado 29/11/2011 18h38, última modificação 29/11/2011 18h38
Curitiba – Seminário em Curitiba discutiu perspectivas a partir da pesquisa Business Round-Up da Amcham.

Planejamento empresarial significa foco e deve integrar as áreas de gestão, finanças, inovação e estratégia. Para especialistas nesses segmentos, respectivamente Dante Quadros, Armando Rasoto, Ruy Sant’Ana e José Nasser, é necessário que as empresas estabeleçam um mapa para “trilhar” o ano de 2012 considerando todas essas áreas.

Os quatro palestrantes apontaram um panorama de perspectivas a partir dos resultados da pesquisa Business Round Up da Amcham, apresentada no evento Gestão 4X4 da Amcham-Curitiba nesta terça-feira (29/11).

Mão de obra

A escassez de mão-de-obra qualificada é uma das principais e mais preocupantes perspectivas para o cenário econômico brasileiro nos próximos anos. “O Brasil agora está apresentando um crescimento econômico para o qual precisa dar respostas que não tem”, apontou Dante Quadros, diretor da Synergy Consultoria Organizacional e professor da FAE Business School e da PUC-PR. De acordo com Quadros, apesar de a falta de mão-de-obra abranger todos os níveis, inclusive os de gestão, o maior gargalo concentra-se nos níveis operacionais e técnicos, como tem debatido a Amcham por meio do programa Competitividade Brasil. 

Além da falta de capacitação, as empresas também enfrentam a migração de profissionais especializados para outros países e uma economia doméstica aquecida, que favorece mudanças de emprego por parte dos colaboradores. “O Paraná também carece de mão-de-obra e de um sistema educacional bem estruturado”, refletiu Quadros.

O investimento a longo prazo por parte do governo em educação básica de qualidade é, para o professor, um caminho necessário. No entanto, Quadros alertou para o caráter urgente na resolução desse déficit de mão-de-obra, o que envolve medidas que vêm sendo adotadas por companhias no sentido de capacitar profissionais, preparar lideranças e retê-las, manter uma equipe especializada na busca de talentos e formalizar parcerias com instituições de ensino.

Finanças

Do ponto de vista das finanças, a recomendação dos especialistas é atenção à liquidez. Armando Rasoto, professor de Finanças Corporativas da FAE Business School e da UTFPR, avalia que, diante das turbulências internacionais, isso se torna ainda mais relevante.

 “A cautela precisará ser mantida na área de finanças em 2012. Devido ao cenário de crise, a oferta de dinheiro pelos bancos será muito menor”, indicou.

Rasoto destacou ainda que, em sua percepção, o financeiro é apenas um controle e um indicativo dentro das organizações. “Os responsáveis pela rentabilidade e pela liquidez são as áreas de gestão e planejamento e também a existência de pessoas capacitadas.”

Inovação e estratégia

Outra importante indicação é o investimento em inovação. “A inovação está diretamente associada à permanência das empresas dentro do mercado”, assegurou Ruy Sant’Ana, professor de Qualidade e Inovação.

Para ele, a inovação exige das empresas uma visão mais ampla do que o próprio planejamento, olhando para o futuro, numa perspectiva de dez a 20 anos, bem mais que o horizonte de cinco anos normalmente observado.

Saiba sobre a pesquisa Business Round Up da Amcham aqui

registrado em: