Plataforma digital alavanca ações de endomarketing

por daniela publicado 25/10/2011 16h56, última modificação 25/10/2011 16h56
André Inohara e Daniela Rocha
São Paulo - Companhias passam a agir estrategicamente para transformar colaboradores em embaixadores das marcas, indicam especialistas.

O advento das mídias digitais tem alavancado as ações de endomarketing, marketing voltado ao público interno. As companhias têm se dedicado mais a transformar os colaboradores em aliados do negócio e defensores das marcas. É o que avalia Marisa Furtado, vice-presidente da área de Inovação Estratégica da Agência Fábrica.

“É inegável que o fator humano é um ativo e as empresas estão percebendo que, ao tornar os colaboradores embaixadores das marcas, aumentam a produtividade e geram rentabilidade. O endomarketing está sendo alavancado pela plataforma digital, ambiente em que se confundem as pessoas jurídicas e físicas”, explicou a especialista, que participou na terça-feira (18/10) do comitê de Marketing da Amcham-São Paulo.

De acordo com ela, as ações de endomarketing são fundamentais para criar a cultura organizacional e alinhar o discurso. Atualmente, "vender" o produto para os funcionários passa a ser tão importante quanto fazê-lo para os clientes.

Marisa Furtado ressaltou uma iniciativa da Best Buy, a maior rede de lojas de produtos de informática e eletroeletrônicos dos Estados Unidos, que criou uma conta chamada Twelpforce, alusão a Twitter mais help (ajuda). A partir desse espaço, todos os colaboradores podem dialogar com os clientes, dando informações e orientações sobre produtos e serviços. “Isso foi revolucionário, ao envolver os colaboradores no diálogo de maneira tão direta”, afirmou.

No Brasil, a VP da Agência Fábrica avalia que, além do crescimento das mídias sociais, o fenômeno de ascensão de classes sociais também reforçará a necessidade de investimentos em estratégias de endomarketing.

Ademais, na visão dela, os brasileiros têm experimentado mais o exercício da cidadania nas relações de consumo do que na política. Assim sendo, os colaboradores deverão estar mais envolvidos com marcas, produtos e serviços para prestarem atendimento de qualidade, garantindo as explicações necessárias aos novos consumidores.

Case Fiat

A Fiat tem realizado ações consistentes de endomarketing, sobretudo campanhas de lançamento de veículos ao público interno. “Os empregados devem ser multiplicadores da marca para a sociedade, não só em relação à imagem institucional, mas também aos produtos”, disse Othon Maia, gestor de Comunicação Interna da montadora.

Segundo ele, como há segredo nas etapas de pesquisa e desenvolvimento, existe necessidade de um trabalho voltado ao entrosamento dos funcionários com os novos veículos na etapa final, antes que cheguem às revendedoras. “Há um esforço para informar os detalhes dos produtos e despertar o orgulho de pertencer à companhia”, explicou.

Nos lançamentos do Novo Uno e do Novo Idea, ocorreram testes de direção. A Fiat conta com 13 mil colaboradores. Considerando terceiros e fornecedores, o número chega a 25 mil pessoas. “Em apenas uma das ações, foram 15 mil test drives. Vemos isso como oportunidade de se apaixonarem pelo produto.”

De acordo com Maia, o a que chamou a atenção é que, no setor de vendas internas, os índices de comercialização do Novo Uno e do Novo Idea chegaram a ser maiores, consideradas as devidas proporções, em relação aos resultados do mercado.

 

registrado em: