Professora americana destaca cinco fatores para a inclusão de gênero nas empresas

publicado 25/10/2016 16h01, última modificação 25/10/2016 16h01
São Paulo - Encontro sobre equidade de gênero contou com cerca de 500 dirigentes empresariais, a maioria de mulheres, interessados em consolidar uma mudança de cultura
elisabet-rodriguez-dennehy-2883.html

Os desafios para aumentar a presença das mulheres nos cargos de gestão, assim como as melhores práticas para incorporar a equidade de gênero nas empresas foram os principais temas debatidos na primeira edição do Seminário de Empoderamento Feminino, na manhã da terça-feira, 25, na sede da Amcham em São Paulo.

O encontro contou com a presença da Professora da University of Pittsburg e especialista em integração de gênero, Elisabet Rodriguez Dennehy, que abriu a discussão dando cinco passos para o empoderamento da mulher no ambiente de trabalho. Em seguida, um painel de debate reuniu executivos de diversos setores que compartilharam suas visões e experiências a respeito do tema.

 Confira os principais destaques:

Elisabet Rodriguez Dennehy  - Professora e advogada

“Há cinco fatores para que as mulheres tenham sucesso na conquista de espaço dentro das empresas: autenticidade, comunicar confiança, networking estratégico, ter um board pessoal de mentores e patrocinadores, além de criação de um branding pessoal”.

“Descobrimos que quando há uma maior presença feminina [nas empresas] a eficiência aumenta. Descobrimos que coletivamente os grupos também se tornam mais inteligentes”.

“Equidade de gênero é quando entramos em uma reunião e, mesmo brigando lá dentro, quando saímos, reconhecemos que a coisa certa foi feita”.

Rodrigo Santos – Presidente da Monsanto

“Nós trabalhamos muito forte a diversidade, porque acreditamos profundamente que isso vai criar resultados melhores para a empresa”.

“Tenho certeza de que as mudanças nas empresas podem impactar a sociedade”. 

Alexandra Loras – Ex-consulesa da França em São Paulo, empresária e consultora

“Se olharmos bem, saímos no Brasil mais diplomadas do que os homens. No entanto, temos só 6% das mulheres nos cargos executivos das empresas”.

“O homem de hoje não pode ser responsabilizado pelo que aconteceu no passado com a mulher. Mas, hoje, precisamos enxergar que o homem também é responsável por reequilibrar a nossa sociedade”.

Victor Mezei – Presidente da Pfizer

“A importância de ter uma organização que reflita a sociedade é fundamental”.

“Não adianta eu pregar a diversidade se o comitê de liderança é constituído basicamente por homens”.

Mônica Herrero - CEO da Stefanini

“O nosso grande desafio hoje na organização como um todo, tanto em diretorias como vice-presidência, é o aumento das mulheres. É capacitar mulheres para o mercado de trabalho de tecnologia”.

Thaisa Storchi Bergmann – Física, vencedora do prêmio L’Oréal-Unesco para Mulheres na Ciência

“A gente tem que procurar os nossos caminhos. Dar um jeito e achar soluções criativas”.

“Eu acho que todos os problemas que nós enfrentamos, enfrentamos porque não estamos ensinando bem as nossas crianças”.

 

registrado em: