Protocolo de entendimento é uma das saídas para solucionar conflitos em empresas familiares

por giovanna publicado 22/09/2011 11h45, última modificação 22/09/2011 11h45
Recife – Instrumento define regras específicas para disputas na gestão desse tipo de companhia.

Companhias familiares brasileiras, buscando otimizar a solução de conflitos, começam a adotar o protocolo de entendimento familiar, instrumento que define regras específicas para disputas na gestão. É o que aponta Paulo Roberto Cannizzaro, autor do livro “Empresas & Famílias” (Editora Dom Bosco, 2011).


“Empresas familiares são muito mais emocionais. É preciso disciplinar e colocar regras para que essas emoções não prejudiquem a saúde do negócio”, defendeu Cannizzaro, que participou do comitê de Small Business da Amcham-Recife na terça-feira (20/09).


Ele explica que o protocolo regula todos os princípios ideológicos da companhia familiar e possui conteúdo que contribui para a proteção do patrimônio da família. Além disso, o documento determina os ordenamentos testamentários (regras quanto à aplicação do testamento da família) e os regimes legais dos casamentos dos envolvidos.


Redação


Cannizzaro destaca que o protocolo tem caráter jurídico e funciona como um acessório a outros documentos legais da empresa, como contrato social e regras do conselho de administração. “Na hora de redigir o protocolo de entendimento familiar, o ideal é procurar consultorias especializadas, já que cada companhia exige um tipo diferente de texto. Mas, o mais importante é que a vontade de ter esse documento saia de um consenso da família”, afirmou.


A sugestão de Cannizzaro é que, para instaurar um protocolo de entendimento familiar, a principal entidade envolvida no processo seja o conselho de família (leia mais sobre o conselho de família aqui).

Segundo o especialista, assinam o protocolo os pais e filhos da família proprietária. “Em alguns casos pode-se estender a assinatura também para genros e noras dos pais.”


Tipos de conflito


Cannizzaro elenca três tipos principais de conflitos nas empresas familiares:


• Conflitos de processo: envolvem o entendimento familiar dos melhores aspectos e estratégias de gestão;
• Conflitos de relações: se referem a questões pessoais, provenientes diretamente de problemas entre parentes;
• Conflitos de conteúdo: embate entre diferentes credos, ideologias, princípios e valores.

O especialista destaca que o protocolo funciona principalmente para a resolução do terceiro tipo de disputa. “Conflitos de conteúdo geralmente são mais complexos, pois abarcam a ideologia dos envolvidos. Nesses casos, o contrato de família se mostra bastante eficaz”, comentou.

 

 

registrado em: