Reduzir custos e aperfeiçoar processos depende de alinhamento com ações de RH, aponta especialista

publicado 17/07/2014 15h27, última modificação 17/07/2014 15h27
Campinas – Comitê Estratégico de Gestão de Pessoas do último dia 02/07 discutiu as estratégias para aplicação de Lean Office nas empresas.
custos-foto01.jpg-8014.html

Reduzir o tempo da produção, aperfeiçoar o tempo de entrega e principalmente reduzir os custos, são alguns dos objetivos da maioria das empresas, e que muitas vezes parecem inalcançáveis.

Para Lírio José Busato, Diretor do Lean Institute Brasil, que palestrou no Comitê Estratégico de Gestão de Pessoas da última Quarta-feira (02/07), há uma maneira de obter todos esses bons resultados em conjunto. “O Lean Office tem como objetivo agilizar o fluxo da informação no meio administrativo, e é este fluxo que determina a agilidade de todas as outras áreas, se ele for lento a produção para”, conta ele. 

O melhor caminho para a aplicação do Lean Office é a padronização, que faz com que as pessoas entendam o trabalho em todas as suas etapas. José Busato afirma que a maior ferramenta das empresas em qualquer processo, e em especial na aplicação do Lean são as pessoas. “O RH é essencial para o acompanhamento do processo do Lean Office, pois é ele que lida com as pessoas, e são elas que geram mudanças”.

O departamento de Recursos Humanos, segundo ele, é quem deve formar os profissionais, e recompensá-los, pois só assim eles se sentiram motivados a fazer o processo com excelência, e a empresa terá ótimos resultados, financeiros e administrativos.

Outro ponto forte do processo de Lean Office é a otimização dos processos por detecção de etapas que estão sendo utilizadas e que na realidade não agregam valor algum, e pela identificação da falta ou perda de

talentos, que poderiam estar sendo mais bem aproveitados se recolocados em outras áreas.

Barreiras 

Mas como todo processo, o Lean Office também encontra barreiras. A executiva Flávia Carpentieri, gerente Regional de Qualidade da Rousselot South America, que também palestrou no Comitê de Gestão de Pessoas, aponta o principal fator que barra o desenvolvimento rápido e perfeito do Lean Office . “Por incrível que pareça, são as lideranças que muitas vezes atrasam este processo, pois é difícil retirá-los da zona de conforto”, afirma. 

Para Flávia Carpentieri, este tipo de resistência acontece também, porque no processo de Lean Office, os resultados são muitos mais vistos na empresa em geral do que em um setor específico, muitas vezes os resultados do funcionário não mudam, o que tem que mudar é a maneira como ele realiza o trabalho, por isso a parceria com as lideranças é essencial. 

registrado em: