Ritmo exponencial de mudanças vai fragmentar mercados e baratear produtos, diz Luis Rasquilha

publicado 01/08/2018 09h15, última modificação 01/08/2018 10h07
BH – Criação coletiva, conexão emocional e mindset de abundância também são megatendências do futuro

Para o futurólogo Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting, o ritmo exponencial das mudanças vai trazer a “grande virada” para o futuro. “A grande virada é que, com a exponencialidade, a capacidade de transformar produtos e serviços cada vez mais acessíveis e a custo zero é maior”, conta Rasquilha.

A criação e reinvenção de negócios já está mais rápida hoje, graças às novas tecnologias de comunicação. “Grandes mercados desapareceram e a grande tendência da exponencialidade é melhorar a tecnologia e cair o preço”, continua o especialista, que participou do comitê de Gestão de Pessoas da Amcham-Belo Horizonte, em 19/7.

Além da exponencialidade, Rasquilha identificou mais três megatendências para o futuro: criação coletiva, conexão emocional e mentalidade de abundância.

A primeira megatendência diz respeito ao compartilhamento de ideias e propósitos. A geração millenial quer fazer algo de valor e se unir a pessoas que pensam da mesma forma. Há mais valorização do pensamento coletivo do que do individual. “É muito menos importante quem teve a ideia e muito mais a equipe que faz acontecer”, detalha Rasquilha.

Em segundo, conquistar o coração dos clientes é a chave para ser relevante. “Domina o mercado quem tiver mais pessoas unidas em torno dele”, segundo o especialista. Significa que as empresas de maior valor serão aquelas que construírem comunidades gigantes em torno delas. Casos do Uber, Facebook e AirBnB.

A mentalidade de abundância é a quarta e última megatendência. O novo modelo econômico prevê muitas indústrias produzindo quantidades maiores para abastecer públicos igualmente grandes. “A oferta aumenta muito, o preço cai bastante e a economia gira muito melhor”, segundo o especialista.

Os profissionais que souberem usar a tecnologia para entender e oferecer o que o cliente quer estarão mais preparados para esse futuro, na opinião de Rasquilha.