Amcham Arena: conheça o trabalho das startups finalistas da competição

publicado 31/08/2018 12h03, última modificação 03/09/2018 13h30
Porto Alegre – Banca composta por executivos e investidores premiou a startup Cíngulo na final da competição
Amcham Arena 2.jpg

Durante o Amcham Arena, realizado no dia 31/07 pela Amcham – Porto Alegre e a Unisinos, diversas startups apresentaram seus negócios para uma banca composta de executivos, empresários e investidores. A vencedora da segunda edição do evento foi a startup Cíngulo, com um aplicativo voltado para saúde mental.

Conheça mais sobre a vencedora e sobre as outras empresas que participaram:

ALEXXO

A Alexxo foi apresentada por seu sócio-fundador e CEO, Alexandre Winck. A empresa de tecnologia foca no desenvolvimento de soluções da Internet das Coisas para a Indústria 4.0, principalmente na área de gestão de energia, controle de produção e gerenciamento de utilidades: “Nós desenvolvemos hardware e software para conectar equipamentos e dispositivos, monitorando em tempo real e permitindo com que pessoas possam acessar essas informações em qualquer lugar do mundo onde elas estejam”.

A empresa surgiu para viabilizar a utilização dessas modernas tecnologias da Indústria 4.0 ao pequeno e médio empreendedor. Conforme Winck, o Brasil tem 350 mil pequenas e médias indústrias e, destas, 48% utilizam algum tipo de automação, mas algo ainda “muito inicial”. As perdas por falhas chegaram a U$ 2 bilhões em 2017 no país.

No modelo de negócio, o cliente paga uma mensalidade na utilização tanto do hardware quanto da nossa solução de conectividade, pode licenciar e comprar os produtos para que a própria equipe instale. Por fim, os empreendedores estão desenvolvendo uma omnistore, que é, basicamente, uma grande loja onde aplicações desenvolvidas por parceiros e terceiros vão ser comercializadas.

BE ON

Gustavo Caleffi, CEO da Be On, explica que a startup é uma ferramenta de segurança colaborativa desenvolvida a partir do know-how da empresa Esquadra, especializada na área de gestão de riscos e segurança. O aplicativo, lançado há cerca de 90 dias, cobre áreas específicas da segurança: incêndios, saúde, trânsito e ambiental. O objetivo é reduzir o tempo de resposta do Estado por meio da ação em comunidade. “Nosso diferencial é que integramos comunidades, polícias, guardas, exércitos, segurança privada, estados e municípios”, explicou Caleffi.

O usuário do Be On recebe alertas para qualquer situação relativa à segurança em um raio de um quilômetro. Ele também dispõe de um chat seguro e exclusivo por meio do aplicativo. Por fim, pode criar alertas de monitoramento para outros pontos, como a escola dos filhos e casa de familiares, por exemplo – que gerarão notificações de acordo com a movimentação no raio de um quilômetro, também.

CHECKLIST FÁCIL

A Checklist Fácil é um aplicativo de solução simples para todos aqueles que precisam realizar a checagem de processos, racionalizando papeis, planilhas, imagens, compilação de dados e proporcionando acesso em tempo real.

“O cliente pode criar os seus checklists dentro da plataforma. Ele o aplica em campo através de tablets, smartphones, ou offline, registra as não-conformidades e gera uma série de relatórios de performance dessas unidades auditadas – a unidade pode ser loja, pode ser caminhão, pode ser uma máquina – e também um outfile da solução de cada problema encontrado no campo”, relata o CEO, Rafael Zambelli.

Há um ano, a iniciativa tinha 54 clientes. Em 2018, já são 85 as empresas e instituições parceiras no Brasil e em países vizinhos como o Equador e a Argentina. Tendo clientes como a Unilever, a Checklist Fácil ‘devolve’ em pouco mais de sete meses, por meio da economia gerada, o investimento para implementação. “Temos exemplos como a Doutor Consulta, que economizou R$ 1.200 no primeiro mês, ou a Toyota, deixando de gastar R$ 70 mil em papéis por mês. Então é uma contribuição social, também, porque obviamente a cliente tira do papel e traz para a plataforma eletrônica”, comenta Rafael.

Foram cerca de 900 mil checklists aplicados no ano passado. Neste ano, a Checklist Fácil já ultrapassou este número, estimando chegar ao dobro até o fim de 2018.

CÍNGULO

Criado por psiquiatras e neurocientistas, o aplicativo Cíngulo mistura tecnologia, autoconhecimento e apoio emocional. Ele “promove o bem-estar emocional através do autoconhecimento, de modo efetivo, privado e acessível” no cenário contemporâneo, onde metade das pessoas tem problemas emocionais sérios ao longo da vida e somente 15% das pessoas recebe algum tipo de tratamento.

“O usuário faz uma avaliação para identificar os seus pontos fracos, começa a usar sessões de autoconhecimento, técnicas de SOS e um diário emocional no processo de desenvolvimento pessoal. As sessões abordam temas como ansiedade, insegurança, stress, autoestima, ânimo, atitude. Elas têm esquemas, texto breves, áudios e vídeos, tudo de maneira personalizada. À medida que o usuário vai utilizando o aplicativo, ele pode refazer a auto avaliação e assim pode acompanhar sua evolução neste processo”, explica um de seus idealizadores, o psiquiatra e neurocientista Diogo Lara.

A ferramenta pode ser usada tanto de forma individual, no modelo freemium, com download pago pela Play Store ou Apple Store, ou por meio de pacotes coletivos disponibilizados a empresas. Hoje, o Cíngulo conta com 474 usuários individuais, com os quais foi analisada a redução de ansiedade, melhora da energia, disposição e confiança em poucas semanas de uso.

DONAMAID

Da cidade de Pelotas, a Donamaid é plataforma líder entre os jovens quando o assunto é contratação e agendamento de limpezas residenciais e comerciais de vários tamanhos. “Quem busca esses serviços hoje no Brasil vê isso como algo inseguro, complexo e desconfortável, e é por isso que nós criamos a Donamaid”, resumiu o CEO da empresa, Luiz Gilberto Camargo.

Você escolhe a duração da limpeza, dia, hora e entre uma seleção de profissionais analisando o rating, a nota e o total de limpezas já realizadas. Paga no boleto ou cartão de crédito e pronto: no dia e horário marcado, o profissional vai estar lá para atendê-lo.

Donamaid tem como público principal os millennials, geração que está atualmente entre os 25 e 35 anos. “Três a cada quatro millennials mora sozinho e trabalha fora. Ainda assim, nenhum dos grandes players no país atende o que a gente chama de ‘nova geração dos donos de casa’”, explica Camargo.

Desde fevereiro de 2017, são mais de 11 mil horas de limpeza em 7 cidades da Região Sul, com quase R$ 200 mil transacionados e mais de R$ 35 mil em faturamento. A meta é multiplicar por dez as receitas, por 30 o número de limpezas, atender mais 1.400 residências, 6.700 empresas e atrair 800 novos profissionais de limpeza até fevereiro de 2019.

JAMES TIP

De acordo com o PPTO da James Tip, Guilherme Masseroni, a startup é uma inteligência artificial que prevê o comportamento do varejo físico e dos sites de e-commerce. Ele trouxe a informação de que, em 2016, o varejo mundial faturou U$ 15 trilhões, mas, entre excessos e rupturas, perdeu 7%, o equivalente a U$ 1,1 trilhão. “Parece bobagem ou não, mas a Soprano está aqui e sabe disso: muita gente que só estoca, estoca, estoca e não faz rodar. Os resultados são a curtíssimo prazo. Em uma semana o varejista consegue fazer a próxima compra e as reduções necessárias.”

A James Tip entrega ao usuário diretrizes de ação ao invés de gráficos. Essa é uma premissa da empresa, destaca Masseroni:“Gastamos muito em inteligência artificial, então não entregamos nenhum gráfico. É insano gastar em inteligência para entregar gráficos. Nós entregamos ações”.

Uma ferragem que passou a utilizar a plataforma economiza R$ 98 mil mensais com a solução. Em cinco meses, 68% da ruptura diminuiu, além de 5.1% dos níveis de estoque da empresa. O próximo passo dos empreendedores da James Tip é ampliar a área de atuação da empresa, aplicando o seu know-how estatístico para oferecer serviços de uma fintech.

LINHA DIRETA

Mais uma iniciativa no segmento da segurança, o app Linha Direta foi criado no Rio de Janeiro, buscando aproximar a população dos batalhões de polícia. “O Linha Direta, é uma forma segurança compartilhada. Um aplicativo de aviso emergencial onde você pode acionar as pessoas que podem prestar auxílio imediato de forma rápida, sem que o autor da violência perceba”, ressalta o CEO Leonardo Gandelman.

O aplicativo localiza a pessoa em qualquer local com extrema precisão, avisando os contatos no entorno do usuário – com uma sombra de 30 metros para não correr o risco de notificar o agressor. “Em 10 segundos, você dá um toque no botão, grava o que está acontecendo, vê o tipo de violência e aperta mais um botão se quiser. O aplicativo fecha automaticamente e a notificação vai para os seus contatos e para a polícia”, explica.

Os empreendedores responsáveis pelo Linha Direta estão buscando a integração com meios de transporte, como Uber, táxis, 99, metrô e ônibus para a localização em trânsito. Outro ponto é a tradução para outros idiomas. “Se um russo chegar aqui você vai entender alguma coisa? A polícia vai entender? Não vão. Mas ele terá como traduzir online com essa plataforma que estamos fazendo em 17 línguas”, resumiu Gandelman.

MEERKAT

Soluções em visão computacional com reconhecimento facial, possibilitando a otimização de processos através da análise automática de imagens e extração de dados. É isto que oferece a startup Meerkat, representada pelo cofundador Renan Franz. A tecnologia desenvolvida detecta expressões faciais, impedindo fraudes justamente em acessos de reconhecimento facial. “Nossa caminhada começou com o desenvolvimento de uma solução de reconhecimento facial com o objetivo de fazer vigilância passiva de ambientes e também controle de acesso e autenticação facial mobile. Diferentemente dos concorrentes, não entregamos essas tecnologias somente na nuvem, mas na forma que o cliente precisar”, relata.

A startup também é responsável por um OCR (Optical Character Recognition) específico para a CNH. “Com uma simples imagem de uma CNH ou de um CRNV, pode-se extrair todos os dados de maneira automática, fazer o cruzamento deles e, consequentemente, eliminar boa parte do teu backoffice que faria essa transcrição, ou o incômodo de ter que digitá-los um a um”, explica Renan.

A Meerkat também tem soluções tecnológicas para a detecção e identificação de placas de veículos e, um pouco diferente de todas as outras, o logodetection, voltado para o mercado de marketing. “Conseguimos treinar o algoritmo, baseado em deep learning, para ‘entender’ o que é um logotipo ou um objeto, seja uma cadeira, um caminhão ou um carro”, esclarece o cofundador da empresa.

MONITORGOV

A MonitorGov atua no monitoramento e análise de informações sobre portais de contas e compras públicas. De acordo com seu CEO, Leonardo Rios, a ferramenta ajuda a resolver dois grandes problemas. “Temos uma ferramenta de robôs que capturam informações de portais de compra e portais de transparência. Hoje, monitoramos em torno de 700 portais com o objetivo de predizer o comportamento de compra do governo. Tentamos entender o que órgão quer comprar, como quer comprar, que preço quer pagar, quais empresas já participaram ou qual é a ideia de preço, qual o preço referência desse produto”, esclarece.

Mais de 400 mil empresas cadastradas já realizaram vendas para o governo federal. Destas, os empreendedores do MonitorGov acreditam que 150 mil utilizam algum tipo de monitoramento. “Nosso foco é cerca de 5% de empresas que vendem para o governo, em torno de 20 mil instituições dentro deste universo”, afirma Leonardo. A plataforma tem uma base de mais de 50 milhões de resultados em compras e 290 mil fornecedores cadastrados. São mais de 17 mil órgãos públicos cadastrados e mais de 87 mil atas de registro de preços.

WHATSSHARE

A WhatsShare é uma plataforma de marketing digital para empresas que utilizam o Whatsapp como ferramenta de venda e captação de leads. “Trabalhamos a partir de uma funcionalidade oficial liberada pelo Whatsapp, facilitando todo esse processo de contato em apenas um clique. Você coloca o seu número lá, que é transformado em um link de acesso direto para compartilhamento na web”, explica o fundador da ferramenta, Marlon Candido.

“Temos um cliente que trabalha com o nosso link para aumentar a capacidade de captação. Antes era enviado o número de telefone para o retorno do contato, e a conversão era muito baixa. Com o link direto do Whatsapp, o destinatário apenas clica e o chat abre-se automaticamente. Em outro exemplo, um parceiro utiliza a funcionalidade do WhatsShare no próprio site como uma opção para o seu cliente fazer pedidos e tirar dúvidas.”

Com o WhatsShare também há a opção transformar o link para o usuário final em um distribuidor sequencial de contatos. “Em um mesmo link criamos uma tecnologia que faz a distribuição dos usuários de forma organizada e totalmente sem recorrência, mas sim de forma padronizada”, destaca Marlon.