Amcham participa de audiência pública sobre pirataria na Câmara dos Deputados

por andre_inohara — publicado 11/07/2013 08h22, última modificação 11/07/2013 08h22
Brasília – Prejuízo à economia brasileira é de R$ 100 bilhões, segundo Receita Federal
concurso_195.jpg

A Amcham será uma das entidades que falarão dos prejuízos que a pirataria causa à sociedade na audiência pública que ocorre na quinta-feira (11/7), na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio – CDEIC – da Câmara dos Deputados.

Diante do tema ‘Combate à Pirataria’, o gerente de relações governamentais da Amcham, Felipe Magrim, apresentará as ações da entidade para neutralizar os efeitos negativos de uma prática que causa prejuízos à economia brasileira em torno de R$ 100 bilhões, de acordo com dados da Receita Federal do Brasil. “O objetivo é engajar a sociedade a respeito do tema”, disse Magrim.

Além da Amcham, entidades como a BSA (maior grupo mundial de indústrias de tecnologia da informação) e o CNCP (Conselho Nacional de Combate à Pirataria), do Ministério da Justiça, compartilharão suas opiniões a respeito do tema.

Leia mais: Cuidar da propriedade intelectual é garantia para futuro do Brasil, mostra evento do Projeto Escola Legal

As ações da Amcham no combate à pirataria

- Projeto Escola Legal (PEL)

Criado em 2006, o PEL trabalha a conscientização dos estudantes de nível fundamental e médio sobre os malefícios da pirataria. O projeto já foi replicado em 254 escolas, sendo 232 públicas e 22 particulares. Ao todo, 3.363 educadores transmitiram o tema a 42.279 alunos nas cidades de São Paulo, São Bernardo do Campo, Caieiras, Campinas, Goiânia, Blumenau e Porto Alegre.

- Grupo de Combate à Pirataria em Saúde

O grupo de empresas que se reúne periodicamente na Amcham para planejar e promover ações de combate à pirataria, falsificação e contrabando de produtos da cadeia de saúde (medicamentos, produtos médicos, implantes etc.).

- Força Tarefa de Propriedade Intelectual

A Força Tarefa de Propriedade Intelectual da Amcham busca influenciar o processo de reestruturação do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), propondo medidas que visam sua eficiência, em especial a redução do backlog (estoque de patentes não concedidas) e agilização de seus procedimentos.

registrado em: