Carreira Beauty: “abrir uma empresa é barato”

publicado 25/07/2014 09h39, última modificação 25/07/2014 09h39
São Paulo – CEO da startup transformou ideia de ONG em negócio
beauty-foto01.jpg-3550.html

Rui Miadaira, CEO da Carreira Beauty, plataforma de empregos, cursos e conteúdo para o mercado de beleza e bem-estar, conta que não entrou no mundo do empreendedorismo tão cedo. Até os 32 anos, o paulistano seguiu uma carreira bastante tradicional, assumindo cargos executivos dentro de grandes empresas.

O empreendedor compartilhou suas experiências no Seminário Startups e Novos Negócios da Amcham-São Paulo, em 18/07.

Sua trajetória começou a tomar outro rumo em 2006, quando ajudou uma de suas irmãs a abrir sua própria clínica odontológica, a Portal do Sorriso, que hoje tem duas unidades. Pouco tempo depois, em 2009, comprou um ponto de spa urbano para suas outras duas irmãs, que também queriam começar seu negócio.

Em 2009, chegou sua vez. Durante a expansão do spa, quando estavam procurando profissionais de beleza (manicures, esteticistas, massoterapeutas, entre outros), Miadaira percebeu que havia certa dificuldade de encontrar pessoas que trabalhassem nessas áreas e resolveu montar um site de empregos. “No começo, a ideia era ser uma ONG”, revela.

Abrindo uma empresa em um ano

Miadaira conta que tudo aconteceu muito rápido, num período de um ano. “Eu, que já venho empreendendo há cinco anos, também fiquei impressionado com a velocidade como as coisas funcionaram”, diz.

No meio do ano passado, ele entrou no InovAtiva Brasil, programa de capacitação e aceleração de empreendimentos, por meio do qual conheceu pessoas que o incentivaram a transformar a ideia em negócio. “Havia ali um mercado enorme”, conta.

Foi participando de workshops do programa que a 500 Startups o encontrou. Ele conta que só soube do trabalho da aceledora na época e decidiu participar do processo seletivo para recebeu apoio.

Em outubro, partiu para o Vale do Silício, nos Estados Unidos, pela 500 Startups. Voltou em março desse ano ao Brasil, e já está fechando uma rodada de investimentos locais nesse mês.

“Há muitas pessoas interessadas em abrir negócios, acredito que haja dinheiro nessa indústria, mas há poucas iniciativas de startups em internet”, destaca. “Sempre digo: é barato começar uma startup. A Carreira Beauty começou com uma solução de US$ 100 e um servidor de R$ 25 por mês”, revela. 

registrado em: