Coronavírus acelerou processo de digitalização de empresas brasileiras

publicado 22/04/2020 10h32, última modificação 22/04/2020 10h32
Brasil – Antes da crise, apenas 5% das vendas de varejo do país aconteciam de forma online
Segundo Jean Carlo Klaumann, Vice Presidente Digital & Omni Commerce na Linx, apenas 5% das vendas de varejo do Brasil aconteciam de forma online.jpg

Segundo Jean Carlo Klaumann, Vice Presidente Digital & Omni Commerce na Linx, apenas 5% das vendas de varejo do Brasil aconteciam de forma online

Para um país onde a maioria das compras são celebradas em canais físicos, acelerar ou até mesmo implementar a digitalização das vendas tem sido um grande desafio para as empresas durante a crise do coronavírus. Segundo Jean Carlo Klaumann, Vice Presidente Digital & Omni Commerce na Linx, apenas 5% das vendas de varejo do Brasil aconteciam de forma online. “Tempo e custo de entrega explicam a pouca aderência ao e-commerce e o abandono do carrinho”, analisa.

Entretanto, com as vendas físicas impossibilitadas, foi necessária a adaptação: o que antes era motivo de resistência, hoje é visto como única alternativa. “Estamos vendo restaurantes que nunca vendiam delivery hoje vendendo”, comenta Klaumann, acrescentando que esse momento serve de aprendizado para os negócios mais resistentes à adoção da venda online. Na visão dele, muitos mercados estão se reinventando e tendo faturamento muito próximo do que tinham antes de adotarem o delivery.

A digitalização também não precisa ser complexa: empresas menores e sem condições de desenvolver um e-commerce em tão pouco tempo, estão adotando a venda pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. “O link de pagamento explodiu no Brasil nas últimas semanas”, evidencia o executivo. A técnica funciona e, principalmente, é válida porque segue o conceito de inteligência promocional, levando em conta as necessidades da empresa e a capacidade dela de atuar em novas frentes.

A inteligência promocional neste momento é decisiva para que o investimento seja feito de forma inteligente. “É preciso foco de atuação e não sair atuando em todas as frentes. A execução nesse momento é muito importante”, pontua Klaumann, que participou do nosso webinar ‘Aceleração do processo de transformação digital diante da Covid-19’, no dia 17/04.

 

PASSOS APENAS PARA FRENTE

Ainda que a crise esteja acelerando o processo de digitalização das empresas, o especialista teme que, passado o coronavírus, o país dê passos para trás. “Não podemos deixar de lado ferramentas que ampliaram nossos resultados em momentos de dificuldade; devemos levar o aprendizado adiante”, manifesta. Para isso, é preciso pensar como tornar as organizações exponenciais de maneira sustentável ao longo do tempo – o momento serve para essa reflexão, que deve fazer parte da cultura da companhia.

Com isso, na visão do executivo, ser exponencial nesse momento é também saber explicar de forma simples o que a companhia faz. “Se o seu próprio colaborador não consegue entender de forma simples o que a sua empresa faz, já é possível identificar um problema aí”, comenta. Ele lembra ainda que a qualidade de execução é imprescindível: “Não faça de qualquer jeito essa transformação porque na retomada você vai estar competindo com empresas muito profissionais”.

 

 O QUE SÃO OS WEBINÁRIOS?

São transmissões ao vivo de bate-papos e entrevistas, exclusivos online, sobre diversos assuntos do mundo empresarial. Diante da atual situação com a COVID-19 no Brasil, transformamos os encontros presenciais em atividades digitais e webinários.

PARA QUEM SÃO E COMO FUNCIONAM?

Os webinários especiais sobre a Covid-19 são públicos, totalmente gratuitos e podem ser acessados pelo link amcham.com.br/aovivo.