Em 2 anos, Bidu se firma na venda de seguros pela internet

publicado 22/07/2014 13h35, última modificação 22/07/2014 13h35
São Paulo – Empresa nasceu de ‘uma ideia e uma necessidade’, diz co-fundador, durante seminário de startups
eldes-mattiuzzo-1521.html

A Bidu surgiu há dois anos como pioneira na vendas de seguros e serviços financeiros on line, no Brasil. Nesse período, recebeu três rodadas de investimentos – a última, em abril, de R$ 20 milhões-, e já se configura entre os 2% maiores corretores do país, segundo Eles Mattiuzzo, co-fundador e CEO da empresa. Ele contou sua história de empreendedorismo durante o Seminário Startups e Novos Negócios, sexta-feira (18/07), na Amcham – São Paulo.

Entre 2010 e 2011, Mattiuzzo foi convidado por um dos investidores a estudar o projeto.

“A plataforma surgiu de uma ideia e uma necessidade, principalmente por parte das seguradoras, de entender por que ainda não se fazia a distribuição de seguros on line aqui no Brasil, uma vez que no exterior já era difundido”, relata.

Erros e acertos

Nessa época, Mattiuzzo acabava de sair de uma startup que não deu certo. Ele havia deixado o mercado corporativo para abrir uma plataforma de empréstimos on line. “Estava indo muito bem, mas por problemas regulatórios, quase dois anos depois de desenvolvimento, tivemos de suspender a operação. Você fica meio sem chão, foi bastante difícil”, recorda.

Para ele, essa fase mostra que é importante valorizar o empreendedor que também já teve resultado negativo. “A cultura de fracasso, muito forte no Brasil e na América Latina, tem de ser extirpada, porque você aprende com a experiência anterior. Hoje a Bidu é tão sólida, juridicamente, que não há brecha que comprometa a operação”, afirma.

A persistência valeu o “salto” de deixar a carreira corporativa, “com o conforto do salário mensal garantido”. “O melhor MBA é você montar uma empresa. Você sangra primeiro, mas o investidor vê que sua empresa vale e vem atrás”, comenta.

registrado em: