Em período de crise, continue investindo em inovação, sugere pesquisa

por lays_shiromaru — publicado 30/01/2015 13h12, última modificação 30/01/2015 13h12
São Paulo – Estudo da Strategy& revela quais são os principais fatores que impulsionam a cultura de inovação dentro das grandes empresas
eduardo-fusaro-9600.html

A 10ª edição da Global Innovation 1000, realizada anualmente pela Strategy& com as 1000 maiores empresas referências em inovação, mostra que vale a pena investir em pesquisa e desenvolvimento, mesmo em períodos de crises econômicas.

De acordo com o estudo, dentre as 68% empresas entrevistadas que apresentaram lucros durante a crise de 2008, 76% aumentaram os gastos com P&D. Das outras 32% que tiveram perda, 56% também seguiram esse mesmo movimento. “O investimento em inovação deve ser pensado em longo prazo”, disse Eduardo Fusaro, diretor da Strategy&, ao comitê de Inovação da Amcham-São Paulo, em 30/01. 

A pesquisa analisou ainda as ações fundamentais para o sucesso da inovação. É importante que as empresas se envolvam diretamente com seus clientes, observando como os produtos são utilizados e alavancando potenciais inovações. “Aquelas que acompanharam de perto os clientes tiveram crescimento três vezes maior em operações e duas vezes mais retorno em ativos”, conta Fusaro.

Ele também ressalta a importância de alinhar a estratégia de negócio e a cultura da inovação, buscando coerência com o mercado e o posicionamento da empresa. “A estratégia de inovação deve ser planejada, articulada explicitamente e disseminada na companhia”, destaca.

Outro fator que contribui para a inovação, segundo a pesquisa, é ter uma rede global de pesquisa e desenvolvimento. Empresas que contam com investimento global, grandes centros de pesquisa e têm ampla alocação em países de baixo custo apresentaram melhores resultados.  “A inovação não acontece isoladamente”, explica Fusaro.

Clique aqui para ver a pesquisa completa. 

 

registrado em: