Futuro das empresas e startups, tecnologia e gestão foram temas abordados no CEO Fórum

publicado 28/08/2018 08h52, última modificação 04/09/2018 17h30
Fortaleza - Evento reuniu lideranças locais e palestrantes para falar sobre tendências e desafios
CEO Fórum - Fortaleza

Tecnologia, disrupção e inteligência artificial são três tópicos que, nos próximos cinco anos, farão parte de todas as empresas, independente do setor em que atuam. Essa é a avaliação de Marcelo Gonçalves, Sócio na KPMG, um dos palestrantes do CEO Fórum de Fortaleza: O Futuro é Convergente, realizado no dia 22/08. Para enfrentar essas mudanças, o conselho do especialista é trabalhar com antecipação. “É necessário ter investimento [em novas tecnologias] e preparar funcionários, atualizá-los. A disrupção e a inovação não serão ameaças, e sim oportunidades para novas operações, para impulsionar o crescimento dessas empresas, e representa também uma nova forma de se conectar com consumidores e colaboradores”, lembra.

Durante o CEO Fórum, Gonçalves e outros palestrantes abordaram sobre os novos desafios e a preocupação com o crescimento das empresas. Para se manter relevante no futuro, o executivo lembra que as empresas devem ter um plano estratégico de investimento em tecnologia e inovação. “É preciso estar preparado para a disrupção, para fomentar novos negócios e lidar com novos entrantes no mercado. Isso vale para startups e grandes empresas”, lembra.

 

Grandes empresas

Para André Ferraz, CEO da InLoco Media, com as empresas ganhando mais velocidade e produtividade graças à tecnologia, elas consequentemente estão entrando em mais frentes de negócios. Por isso, ele acredita que o futuro será de menos competição e de mais colaboração entre as organizações em busca de novas oportunidades.

“Para se manter relevante, a grande empresa precisa se reorganizar. Falamos muito em transformação digital, mas isso não significa só adotar novas tecnologias. É mais uma mudança de mindset, sobre atuar de maneira enxuta e rápida. As grandes empresas, em sua maioria, são lentas e burocráticas. Nesse futuro dinâmico, vai ser difícil sobreviver. A mudança no mindset é para que elas sejam resilientes e adaptadas a mudança”, opinou.

 

Startups e empreendedorismo

O empreendedorismo terá um papel fundamental no futuro dos negócios, de acordo com Luiz Candreva, fundador da EzPark. Para ele, existe uma onda de um mindset diferente, com pessoas que querem desenvolver soluções para os problemas atuais e que agora tem ferramentas tecnológicas para isso. O segredo será trabalhar junto para melhorar o ambiente de negócios como um todo - não apenas empreendedores, mas também executivos e funcionários públicos.

O futuro, para ele, tem relação com economia compartilhada e antecipar tendências. “A economia colaborativa está englobando empresas como Uber, Airbnb, EzPark e plataformas que se valem da força da maioria para conseguir fazer diferença dentro de modelos de negócios e segmentos como, por exemplo, transporte, hospedagem. A economia colaborativa tem o potencial de mudar a economia como ela é hoje”, opina.

 

Importância da gestão

A gestão de pessoas também terá que se reinventar para abarcar essas mudanças. A ideia é que ela ajude a transformar o cenário para criar ambientes inovadores e organizações que apresentem produtos e serviços exclusivos, únicos e de alta percepção de valor. Essa é a avaliação de Cícero Rocha, Fundador e Presidente do Instituto Empresariar.

“Dada a elevada quantidade de informações disponíveis no planeta, os CEOs tem que ter sensibilidade e pensar em como sintetizar tudo isso. A capacidade de convergir conhecimentos e experiências é importante de ser desenvolvida pelo CEO”, lembrou o especialista.

Veja o aftermovie do CEO Fórum: