Missão Regional em Campinas leva executivos para empresas pioneiras na Indústria 4.0

publicado 12/11/2018 17h37, última modificação 13/11/2018 09h57
Campinas – Cerca de 30 executivos participaram de palestras, visitas e conversas sobre a Quarta Revolução Industrial
campinas.jpg

A Indústria 4.0 (ou Quarta Revolução Industrial) se caracteriza por um conjunto de tecnologias que permitem automação e troca de dados, impulsionando novos modelos de negócio. Para se aprofundar nessa revolução que causa tanta insegurança, a Amcham Campinas promoveu, nos dias 24, 25 e 26 de outubro, a Missão Regional de Indústria 4.0. Trinta executivos de diversas regiões do país e representantes de empresas de diferentes segmentos acompanharam as atividades, visitas e palestras de empresas pioneiras nessa revolução, como Balluff, Hella, Mexichem e Mercedes-Benz.

A primeira palestra da missão contou com José Rizzo, CEO Pollux e presidente da Associação Brasileira da Internet Industrial (ABII), sobre a importância da competitividade das empresas do país em relação a Indústria 4.0: “O que vem pela frente pode ser muito maior do que podemos entender e precisamos nos antecipar”, resumiu. Rizzo ainda compartilhou que o primeiro obstáculo é vencer o desconhecimento. “A empresa que vai sobreviver não é a maior, ou a mais rica e sim aquela com a maior agilidade para se adaptar”, recorda.

Carlos Bertozzi, Diretor Geral da Hella Automotive Brasil, apresentou o case Hella 4.0 e trouxe algumas inquietações e novidades. Para o executivo, as soluções de negócio precisam ser simples, acessíveis e baratas. “Na indústria 4.0 tudo muda muito rápido, quem começar antes chega antes. Vocês estarem aqui preocupados já é um ótimo começo”, afirmou. 

No Inova Campinas, segundo dia de atividades, a delegação teve a oportunidade de participar do seminário de Indústria 4.0, onde puderam acompanharam a palestra de Rafael Paniago, CEO da ABB, Adriana Belmiro, CEO da Balluff e José Frias, Gerente de Marketing Estratégico da Siemens.

Todos destacaram dificuldades presentes no Brasil, como o desconhecimento sobre o tema e o medo de realizar esse investimento, além de apresentarem os seus cases.

Rafael Paniago, falou sobre a importância das pessoas nessa transformação: “Estamos convencidos de que os robôs não vão substituir os humanos, mas sim contribuir para uma maior eficiência”, explicou.

Pedro Afonso, Diretor de Tecnologia de Operações da Mercedes-Benz, recebeu a delegação, no ultimo dia de missão para compartilhar o que a Mercedes tem aplicado sobre o tema em uma de suas principais operações no Brasil, na fábrica de caminhões em São Bernardo do Campo. Durante a visita guiada pela fábrica, ele também ressaltou que “o objetivo é a interação do homem com a máquina e não sua substituição.