4 dicas para aplicar a cultura maker e gerar inovação

publicado 30/08/2021 17h18, última modificação 30/08/2021 17h18
Confira os principais insights práticos de Ricardo Cavallini no Amcham Talks
amcham talks_cultura maker.png

Para aplicar a cultura maker e gerar inovação nas empresas, não existe receita pronta. Mais do que cumprir agenda, inovar é transformar ideias em soluções que ofereçam facilidade e sustentabilidade à vida.

Diante disso, a cultura maker favorece a inovação, pois oferece autonomia para que qualquer pessoa possa transformar suas ideias em produtos e soluções inovadoras.

Estruturada sobre 4 pilares, sendo eles criatividade, colaboração, escalabilidade e sustentabilidade, a cultura maker é capaz de criar verdadeiras indústrias. Por isso, já é considerada parte da 4ª Revolução Industrial.

O movimento maker foi tema do nosso Festival de Inovação Amcham Talks 2021 e convidamos Ricardo Cavallini, Professor (Faculty) na Singularity University, Embaixador MIT Sloan Management Review Brasil, Colunista no UOL e um dos apresentadores do Batalha Makers Brasil no Discovery Channel, para falar sobre o legado desse mindset “mão na massa”. 

Confira algumas dicas práticas para ajudar a sua empresa a aplicar a cultura maker e gerar inovação:

 

1- NÃO IGNORE O PODER DA CRIATIVIDADE

“Tudo pode ser melhorado! Absolutamente tudo à nossa volta é medíocre, no sentido de ser mediano. Tudo foi feito para a massa e, ao ser melhorado, se torna mais inteligente e econômico”, defendeu Cavallini.

Durante o Talks, ele compartilhou diversos exemplos de criações e recriações inovadoras de itens e ferramentas do dia a dia que foram melhoradas para simplificar e facilitar processos e rotinas, inclusive de materiais essenciais na pandemia como shield face e respiradores.

A criatividade é uma habilidade crucial para inovar e criar melhorias: seu poder não pode ser ignorado ou subestimado. Empresas que desejam aplicar a cultura maker e gerar inovação precisam valorizar e fomentar a criatividade organizacional, e, para isso, é importante dar voz e autonomia aos colaboradores. 

 

2- COLOQUE A DIVERSIDADE NO TOPO

“Diversidade é mandatório! Boa parte das pessoas que se destacaram no movimento maker são mulheres”, declarou Cavallini. Para ele, é preciso enxergar a diversidade no sentido amplo como pilar básico.

Nesse sentido, para aplicar a cultura maker e gerar inovação, as empresas devem construir times diversos não apenas pensando nas minorias sociais, mas também nas diversidades de profissionais, formações, ideias e pensamentos.

Todo tipo de diversidade é bem-vinda e primordial para favorecer a inovação e construir espaços colaborativos e criativos.

 

LEIA MAIS: Por que a diversidade deve estar no topo?

 

3- FAÇA EXPERIMENTOS

“Não há inovação sem experimentação! Experimentar é muito necessário e hoje as empresas fazem isso muito bem”, afirmou Cavallini.

A cultura maker favorece a experimentação por meio da criação de protótipos e versões piloto dos projetos, que servem justamente para testar e entender o que dá certo ou não. Por isso, empresas que desejam gerar inovação precisam testar e experimentar, não apenas de forma disruptiva, mas também incremental: “Pequenas melhorias em volume fazem muita diferença para as empresas", apontou Cavallini.

Ele acredita que pequenos experimentos são a chave para que a inovação cresça e floresça. Se não deu certo, desiste e parte para outra: aqui é hora de colocar em ação o mindset fail fast” e ter agilidade. Se deu certo, é hora de ampliar o escopo: é a vez do pilar da colaboração entrar em ação, entendendo que a comunidade gera valor e o compartilhamento fomenta o mercado.

 

4- CRIE CAMINHOS PARA A INOVAÇÃO ACONTECER

“Se as empresas não criarem mecanismos não vai ter inovação, não vai acontecer um milagre”, alertou Cavallini.

É fundamental criar abertura para que a inovação aconteça. Cavallini aponta 4 pilares que podem direcionar esse processo que passa por uma transformação de cultura organizacional: 

  • Vontade para colocar em ação

  • Capacidade técnica e conhecimento que precisam ser adquiridos

  • Processos e metodologias que devem ser definidos e implementados

  • Caminhos para que a inovação aconteça, investindo tempo, dinheiro e atenção

Assim, para aplicar a cultura maker e gerar inovação, é preciso entender que não é só sobre tecnologia: é sobre abrir espaços na organização que tornem as pessoas mais criativas e colaborativas, e os negócios mais escaláveis e sustentáveis. 

 

LEIA MAIS: Cultura Maker: o que ela impacta em pessoas, negócios e tecnologia

 

“Cada empresa começa do seu jeito, de acordo com sua capacidade e entendimento. Muitas não fazem nada e nós sabemos onde isso vai acabar! Em um mundo que está mudando rapidamente, se você não inovar, vai ficar para trás e a chance de você morrer, seja como empresa, seja como profissional, é muito grande”, analisou Cavallini.

 

SAIBA MAIS SOBRE COMO APLICAR A CULTURA MAKER E GERAR INOVAÇÃO

“Criar tempo é difícil, mas é questão de prioridade!”, defendeu Cavallini sobre a comum dificuldade de falta tempo. Com esse conselho, caso você tenha perdido algum talk do nosso evento, te convidamos para conferir - ou assistir novamente. Clique aqui e acesse todas as íntegras disponíveis.

Confira outras dicas e insights de Ricardo Cavallini em: “Master Talks: o legado do movimento maker” - clique aqui.

 

LEIA MAIS: PRINCIPAIS INSIGHTS DO AMCHAM TALKS 2021

 

Descubra como preparar a sua empresa para o futuro

Descubra como usar o marketing digital para aproximar os clientes da sua marca

Amcham Talks 2021: de carro voador à música popular brasileira