Velocidade das mudanças tecnológicas traz necessidade de investimento em social business

publicado 07/08/2015 13h46, última modificação 07/08/2015 13h46
Recife - Sócia-fundadora da Le Fil e superintendente de marketing da Moura Dubeux participaram do comitê de TI para discutir importância do social business
socorro-macedo-9939.html

A tecnologia nunca mudou tão rápido.  Novas formas de comunicação alteram o comportamento do consumidor, tornando-se não apenas um diferencial, mas uma necessidade para as empresas se mostrarem conectadas. Para falar das tendências do social business e o que as empresas têm feito para se adaptar a essa realidade, a Amcham Recife recebeu em seu comitê de TI a sócia-fundadora da agência Le Fil, Socorro Macedo, e o superintendente comercial e de marketing da Moura Dubeux, Sergio Vieira. 

Socorro explicou que existem várias fases de integração das empresas no ambiente digital. A primeira fase, mais arcaica, corresponderia a uma inserção inicial e menos dialógica por parte das companhias, com a instauração de um blog, participação de em fóruns online etc. Em seguida, há a participação mais ativa nas redes sociais, baseando-se na interação com os clientes.  Ela ressalta que a participação nas redes social não deve se restringir apenas a publicidade, mas deve buscar integrar todo o negócio, inclusive os departamentos internos da empresa.

“Uma boa gestão de social business é fundamental para entender o que o consumidor quer. Há diversos casos de produtos que foram lançados (ou relançados) por conta de tendências identificadas pela web. Além disso, é importante entender o que o público não deseja. Afinal, várias campanhas já foram retiradas de circulação, ou produtos remodelados por conta de mobilizações online”, destaca Socorro.

Trazendo um caso prático, o superintendente de marketing da construtora Moura Dubeux, Sergio Vieira, explicou como as novas tecnologias impactaram seu negócio. “Já chegamos a vender um apartamento de R$ 3,5 milhões sem que o cliente tenha sequer visitado pessoalmente o prédio. Isso era impensável anos atrás”, comenta. 

Ele diz também que a velocidade das informações nas redes sociais trouxeram a necessidade de se manter sempre atualizado, recebendo relatórios diários sobre a imagem da marca na web. “É uma forma de antecipar tendências do mercado e também se responder com velocidade e eficiência a possíveis crises de imagem.”

registrado em: