Com tecnologia, escritório de advocacia melhora processos e acha oportunidade de negócios

publicado 24/02/2014 09h03, última modificação 24/02/2014 09h03
São Paulo – Bate Papo em TI da Amcham reuniu executivos e empreendedores para dividir experiências
jose-edgard-bueno-525.html

Usando ferramentas de computação em nuvem e gestão de processos, um escritório de advocacia acelerou seus sistemas internos e, de quebra, criou um negócio paralelo de serviços jurídicos.

“A gestão eletrônica de nossas carteiras de clientes se desenvolveu como uma estrutura de BPO (sigla em inglês para terceirização de processos de negócios), e de repente percebemos que poderíamos prestar esse serviço ao mercado”, conta o advogado José Edgard Bueno, sócio do escritório JBM Advogados.

Bueno esteve no Bate Papo de TI (Tecnologia da Informação) da Amcham – São Paulo, realizado na quinta-feira (20/2), ao lado de Paulo Zirnberger de Castro, diretor de Pequenas e Médias Empresas da IBM Brasil, e Paulo Sergio Soares, sócio-diretor da consultoria CIO on Demand.

Os debatedores contaram um pouco de como o uso de tecnologia influencia a vida das empresas e abre oportunidades de negócios. No caso de Bueno, a tecnologia é uma forma encontrada para dar mais agilidade aos contenciosos das áreas cível e trabalhista, que são os principais focos de atuação do escritório.

Case JBM

Para atender aos 400 mil processos em estoque, a JBM mantém 26 escritórios pelo país. “Hoje, entram em média 21 mil processos por mês e saem uns 16 mil. Precisamos de um sistema parrudo para gerir essa carteira”, detalha Bueno. Entre os clientes da JBM, figuram bancos, seguradoras, varejos e concessionárias de serviços públicos.

Com o conhecimento acumulado na informatização dos processos, Bueno decidiu criar um negócio. Por meio da tecnologia de nuvem, sua unidade de serviços jurídicos oferece um sistema que centraliza as informações do cliente e padroniza os procedimentos jurídicos. Mas a JBM também desenvolveu serviços de mobilidade.

Bueno menciona a tecnologia de celular desenvolvida em sua empresa, onde o cliente fotografa as informações do processo, e a ferramenta salva o arquivo em formato padronizado. “O aplicativo envia a informação ao sistema do cliente, que tem acesso automático e atualizado do processo jurídico”, detalha Bueno.

CIO on Demand e IBM

Já a necessidade que as médias e pequenas empresas têm de suporte tecnológico personalizado em TI foi o que motivou o ex-executivo Paulo Sergio Soares a fundar a CIO on Demand com outros sócios. Além de serviços de TI, a empresa de Soares oferece consultoria em gestão tecnológica.

“Queremos ajudar as empresas a entender o que elas precisam em termos de tecnologia, com o olhar de um executivo de TI. Nosso serviço é personalizado, porque é baseado no DNA e momento próprio de cada empresa”, comenta ele.

Para Paulo Zirnberger de Castro, da IBM Brasil, os médios e pequenos empresários precisam estar atentos às mudanças de mercado e pensar em como a tecnologia pode ajudar a melhorar o negócio. “É importante entender a indústria que se atua, as principais mudanças e o que a tecnologia pode trazer de novidades”, destaca.

registrado em: