Custos invisíveis das companhias representam de 20% a 30% do total

por giovanna publicado 30/08/2011 14h36, última modificação 30/08/2011 14h36
Recife – Especialista aponta que empresas ainda têm dificuldades para identificar quais são esses dispêndios, presentes em todos os departamentos.
custos_corpo.jpg

Os custos invisíveis correspondem a uma fatia entre 20% e 30% dos dispêndios totais das companhias. A estimativa é de Antonio Augusto Moreira, diretor do site Dia Dia Empresarial. Para ele, saber identificar quais são esses custos e traçar estratégias para minimizá-los ainda não são preocupações muito fortes nas empresas.

“Esta é uma estimativa que pode variar a cada companhia. Em alguns casos, os custos invisíveis têm uma participação maior”, comentou Moreira, que participou do comitê de Small Business da Amcham-Recife nesta terça-feira (30/08).

De acordo com ele, os custos invisíveis estão presentes em todos os departamentos de uma empresa e podem envolver desde problemas no modelo de gestão a dificuldades na seleção de pessoas. Para eliminá-los, o primeiro passo é realizar uma análise minuciosa e crítica de toda a estrutura organizacional, ensinou.

Principais fatores

Moreira, que também atua como consultor de práticas empresariais, destaca os principais fatores de acúmulo de custos invisíveis nas empresas:

• Excesso de burocracia;
• Alta rotatividade de pessoas;
• Falta de rigidez no controle de gastos realizados pela alta gestão;
• Paternalismo na seleção de funcionários;
• Uso de tecnologia e equipamentos ultrapassados;
• Baixa criatividade entre os colaboradores.

O especialista avalia que identificar, dentre os diversos tipos, quais mais afetam a empresa é uma tarefa difícil. Para ele, cabe aos gestores serem os responsáveis por essa percepção. Outra alternativa é recorrer a consultorias, que podem ser contratadas para apoiar a tarefa.

 

registrado em: