Desafios são cíclicos e é preciso estar adaptado para oferecer soluções inovadoras, ensina fundador da Essence

por andre_inohara — publicado 25/05/2012 17h02, última modificação 25/05/2012 17h02
André Inohara
São Paulo – Ambiente concorrencial muda muito rápido no ramo de Tecnologia da Informação, e o segredo do sucesso é ter pessoal engajado aos objetivos da empresa.
desafios_foto.jpg

A velocidade com que as novas tecnologias de informação surgem tem exigido respostas cada vez mais rápidas das empresas e seus profissionais, pois o tempo de adaptação tem encurtado. Para as que atuam na área de Tecnologia da Informação (TI), isso muitas vezes pode significar a readequação de um produto ou a mudança no foco de negócios.

Quem estiver preparado para interpretar o ambiente de mudanças e produzir soluções de acordo com as novas necessidades dos clientes levará vantagem sobre os concorrentes, assegura Alessandre Trintim, diretor executivo da Essence Consultoria.

“Uma grande oportunidade é conseguir entender esse mundo de mudanças, escolher um bom rumo e atacar rapidamente”, afirmou ele, após participar do Encontro de Empreendedores realizado pela Amcham-São Paulo na quinta-feira (24/05).

Trintim contou sua trajetória de empregado a dono de consultoria e as dificuldades iniciais que enfrentou. Veja abaixo a entrevista de Trintim ao site da Amcham.

Amcham: Qual é a parte mais difícil para um empreendedor em início de carreira?

Alessandre Trintim: No começo, empreender requer muita abdicação da vida pessoal. É uma mudança de direcionamento de vida porque em outro momento você tinha seu salário fixo garantido e passa a precisar conquistar e desbravar.

Amcham: E quais os maiores desafios?

Alessandre Trintim: Seja em qualquer estágio que a empresa estiver, o crescimento é doloroso. Mas existem algumas etapas onde muitas vezes se acaba tendo que mudar o rumo. Toda empresa nasce com um objetivo, produtos específicos e linhas de negócios. Porém, caso se fique parado, sem olhar para a inovação e avançar no desenvolvimento de produtos, acaba-se morrendo ou sendo engolido. O desafio é cíclico e constante. Cada mudança ou direcionamento dado à sua empresa tem que estar ligado à inovação e a movimentos que acontecem no próprio mercado - e que você acaba acompanhando.

Veja aqui: Receita de empreendedorismo é resultado de mescla de inovação e execução

Amcham: Que tipo de inovação tecnológica é preciso oferecer ao cliente hoje?

Alessandre Trintim: A questão da mobilidade está em pauta, e é preciso disponibilizar uma plataforma ou informação para o cliente ou consumidor na hora e no meio em que ele quiser. Isso significa que a informação não está mais em um computador, uma sala de escritório ou uma rede privada. A informação tem que ser acessível para consumo o tempo todo e em qualquer lugar.

Amcham: O que mudou, em termos de necessidade de inovação, na época em que o sr. começou sua empresa, há oito anos, até hoje?

Alessandre Trintim: É a velocidade com que as coisas acontecem. Se  não se tiver uma estrutura empresarial que comporte tomadas rápidas de decisão e de direcionamento de negócios, fica-se para trás e perde-se o timing. Uma grande oportunidade é conseguir entender esse mundo de mudanças, escolher um bom rumo e atacar rapidamente.

Amcham: Hoje está mais fácil produzir inovação tecnológica?

Alessandre Trintim: Sim, porque há muitas opções. Antes, o mercado era muito polarizado, só havia alguns fabricantes. Hoje, consegue-se buscar um produto em Israel ou um fabricante na Índia. Quem estiver do lado das pessoas certas, aquelas capacitadas para buscar, entender e captar informações, vai conseguir trazer o que é preciso de forma muito mais rápida e fácil. Mas o desafio é entender o que sua empresa precisa e o que seu cliente está precisando porque às vezes você tem uma ótima ideia, mas o mercado está em crise e não está comprando nada de novo.

Amcham: O sr. tocou no assunto da importância da mão de obra qualificada, mas outros participantes levantaram a questão do capital. Ao se começar um negócio, qual deles é prioritário?

Alessandre Trintim: O capital é fundamental, necessário para crescer e gerar negócios. Isso é o básico de qualquer empresa. Sem capital, sua aposta fica muito alta e o risco é absurdo. Para mim, as pessoas qualificadas são prioridade. Ter pessoas engajadas ao objetivo da empresa faz que com seja possível ultrapassar qualquer obstáculo.

Veja aqui: Empreendedores apontam os dez principais passos para iniciar e tocar o próprio negócio

registrado em: