Empresas descobrem economia em práticas de TI Verde

por mfmunhoz — publicado 04/11/2010 09h41, última modificação 04/11/2010 09h41
Belo Horizonte - Iniciativas visando eficiência energética resultam em significativa otimização na despesa com energia, diz executivo do Itaú Unibanco.
materia.jpg

As empresas cada vez mais aderem às práticas sustentáveis. Começam agora a ser dar conta também de que esse movimento pode render algumas economias.

“Iniciativas visando eficiência energética resultam em significativa otimização na despesa com energia”, afirma Julio Cezar De Conti, supervisor de Engenharia e Infraestrutura em Tecnologia da Informação do Itaú Unibanco. Ele participou no dia 26 de outubro do comitê de Tecnologia da Informação e Comunicação da Amcham-Belo Horizonte.

O Itaú Unibanco é exemplo dos resultados do uso da TI Verde. Em 2009, conseguiu diminuir seu consumo energético em 1,91 GW/h, o que representa 92 toneladas de CO2, poupando R$ 590 mil. Até o final de 2010, o banco estima que a redução totalize 6,09 GW/h, evitando a emissão de 295 toneladas de CO2 e economizando R$ 1,8 milhão.

Case Itaú Unibanco


Como parte das ações voltadas à sustentabilidade, o Itaú Unibanco realiza um fórum bimensal, o comitê de TI Verde, para discussão do assunto. Os encontros contam com a presença de representantes da área de tecnologia, e a coordenação é conduzida pela equipe da Superintendência de Engenharia e Infraestrutura de TI. O objetivo é mapear, quantificar e acompanhar trabalhos em andamento e identificar novas oportunidades para TI dentro dos preceitos de sustentabilidade.

O banco vê a sustentabilidade em TI em quatro pilares: eficiência energética, ciclo de vida dos equipamentos, Green Workplace (ambiente de trabalho verde, em uma livre tradução) e Software verde.

Em relação à eficiência energética, foram desenvolvidas ações como consolidação e virtualização de servidores (1.910 servidores virtuais), aquisição de equipamentos mais eficientes, troca gradativa de monitores de tubo (CRT) por LCD (16.136 monitores), construção de ambientes eficientes em suas instalações, adoção de métricas para acompanhamento dos resultados e estudo para reuso de recursos naturais.

Sobre o ciclo de vida dos equipamentos de TI, o banco promove descarte sustentável de lixo eletrônico, criação de critérios verdes para aquisição de máquinas, entrevistas e avaliações com os fabricantes e fornecedores para questionar práticas socioambientais, e emprego de software de análise de hardware que permite estender a vida útil dos desktops em até três anos acima da média do mercado.

 O Green Workplace consiste na utilização de desktops virtuais (expansão do ambiente do desktop por meio de um software), além de redução de deslocamentos, privilegiando ferramentas como videoconferências e sessões de telepresença (18 salas de telepresença e 31 salas de videoconferência). A instituição também promove campanhas de conscientização interna.

O Software Verde, por fim, trata do desenvolvimento de processos que proporcionem ganhos de eficiência por meio de captura e transmissão de imagem de cheques e documentos digitais.

registrado em: