Empresas podem usar Mentoring para reduzir custos e aumentar produtividade, diz especialista

publicado 17/09/2015 16h22, última modificação 17/09/2015 16h22
Recife - O consultor Paulo Erlich explicou as vantagens dessa ferramenta no comitê de gestão de pessoas da Amcham
mentoring-foto01.jpg-9606.html

Formar lideranças, preparar sucessores e proporcionar uma adaptação efetiva dos novos funcionários. Essas medidas são fundamentais para o sucesso de qualquer empresa, mas elas frequentemente representam gastos significativos com treinamento de pessoal – o que se torna crítico em momentos de contenções de gastos, como o atual. Porém há uma forma de promover a capacitação da equipe com gastos praticamente nulos. 

Trata-se do mentoring, que consiste em identificar colaboradores experientes dentro da própria companhia e treiná-los para que eles sirvam de “mentores” para os colegas. Para falar dessa ferramenta e como as empresas podem se valer dela para reduzir custos e manter a eficiência da gestão, o consultor e membro do Associação Internacional de Mentoring Paulo Erlich participou do comitê de gestão de pessoas da Amcham Recife na manhã da última quarta-feira, dia 16/9, no Amcham Business Center.

Erlich destaca que o mentoring se destaca pelo caráter prático: o pupilo vai estar em contato todo dia com o mentor, absorvendo não só a técnica como também a cultura organizacional da companhia. “Comparando com outros tipos de treinamento, o mentoring é um processo mais rápido. Isso é bom para quem está sendo desenvolvido e também para a empresa, que passa a contar com um colaborador mais produtivo em um tempo menor”, comenta o especialista.

O consultor acrescenta que a relação também muitas vezes acaba envolvendo não só questões técnicas, mas também suporte emocional, o que é fundamental em processos de adaptação. 

Para Erlich, a principal vantagem do mentoring é o alto custo-benefício que o método traz. “Há apenas o investimento inicial, que é a preparação dos funcionários mais experientes e dispostos a atuarem como mentores. Depois disso, não há mais custo, pois o mentor não cobra pela ajuda que dá ao pupilo. E vários colaboradores podem ser treinados ao longo dos anos pela mesma pessoa.”

Apesar de o mentor não ter aumento de salário pela orientação, o consultor garante que o programa tem dado certo em várias empresas, com uma boa adesão por parte da equipe. “É uma sensação muito boa sentir que está fazendo parte do desenvolvimento de alguém e cria laços importantes de lealdade e respeito.”  

registrado em: