Setor corporativo foca no conteúdo e prefere seguir padrões durante apresentação de palestras

publicado 18/11/2013 10h08, última modificação 18/11/2013 10h08
Recife - Fórum de Qualificação Empresarial teve participação da fonoaudióloga Carla Brito e do jornalista Higor Gonçalves
palestras-foto01.jpg-1959.html
O importante é o que o público vai entender, e não como que o palestrante vai se apresentar. Essa foi a principal dica da fonoaudióloga e sócia da Verbalize Comunicação Empresarial, mestre em Ciências da Linguagem e Instrutora do SENAC, Carla Brito. “No mundo corporativo, as pessoas ficam muito preocupadas com o conteúdo e em seguir padrões. Esquecem de vislumbrar a maneira com que vão se expressar e como será o entendimento do público”, explicou.
Durante o Fórum de Qualificação Empresarial da Amcham-Recife, realizado na terça-feira (12/11), Carla orientou uma plateia de 80 pessoas sobre como se portar durante uma palestra, prender a atenção do público e transmitir corretamente a mensagem. “Além de articular uma apresentação relevante, com começo, meio e fim, é preciso treinar a expressividade vocal”, comentou. “A principal dificuldade que observo em empresários ou gestores que se prestam a comunicar é o medo de se expor”.
 
Ao lidar com o empresariado, Carla ressalta que uma das principais queixas é a voz, respaldada pela necessidade de passar credibilidade. “Para trabalhar com esse tipo específico de apresentação, faço exercícios individuais e acompanho suas atividades de comunicação dentro da empresa. É importante destacar que o padrão de excelência é individual”.
 
Com o tema Vendendo ideias: como fazer apresentações empresariais eficientes, o Fórum ainda contou com a presença de Higor Gonçalves, jornalista especializado nas áreas de marketing e assessoria de comunicação, que apontou os principais erros na elaboração de uma apresentação com a utilização didática do projetor. “O uso de texto longos faz com que o público se distraia e perca tempo e informações lendo. Assim como o uso demasiado de slides e animações”,  enumerou ele, indicando o programa Prezi como uma alternativa ao frequente uso do Power Point.
 
 
registrado em: