Qual é a importância do planejamento estratégico? Entenda!

publicado 22/11/2021 18h15, última modificação 24/11/2021 16h32
Entenda quais são as melhores alternativas para impulsionar seus negócios com planejamento estratégico!
importância do planejamento estratégico.jpeg

O planejamento estratégico pode se concentrar em todo o negócio ou em áreas específicas, como marketing, retenção de clientes, lançamento de produtos, entre outros. É ele que vai ditar de que forma a organização poderá se diferenciar para ganhar competitividade e vencer os demais concorrentes. 

Independentemente do nicho de atuação, entender o real significado de planejamento estratégico faz toda a diferença para otimizar processos com eficiência.

Ele atua como um guia para auxiliar sua empresa a atingir seus objetivos e caminhar para o sucesso de médio a longo prazo da forma planejada inicialmente.

Saiba como a empresa pode adotar esse modelo para atingir seus principais objetivos e, de forma estratégica, impulsionar os negócios. Então, fique conosco nesta leitura prática!

Quais são os tipos de planejamento? 

Em vias gerais, os tipos de planejamento são formas seguras de apostar em um modelo de gestão estratégica na crise. Existem três modelos: estratégico, tático e operacional. Confira, a seguir, um pouco sobre cada um!

Estratégico

Em primeiro lugar, no nível mais alto, estão as pessoas e os processos responsáveis pelas decisões mais cruciais da sua empresa. Nessa esfera, estão o empreendedor ou empresário e, conforme a estrutura da organização, o presidente, sócio, CEO e os diretores.

Esse tipo de planejamento segue procedimentos de análise interna e externa, definição de missão, valores, análise de mercado, direcionamento e posicionamento do negócio em relação aos clientes e à concorrência. Além disso, essa camada também cria toda a estrutura de gerenciamento dessa estratégia.

Portanto, esse nível vai decidir o porquê e quando tomar as decisões mais importantes da organização. Em outras palavras, nenhuma pessoa ou processo pode estar fora dessa etapa. De nada vai adiantar tomar a decisão, se o nível estratégico não favorecer recursos para que o plano tático e operacional — que veremos em breve — realizem as atividades planejadas.

Tático

O nível tático vai desenvolver planos para desdobrar a estratégia nas suas áreas de atuação. Então, a liderança média — administrador, gerente ou coordenador da empresa — vai especificar onde e como realizar, na prática, as linhas gerais definidas no estágio anterior: o planejamento estratégico.

Nesse sentido, essa camada tática vai abranger a divisão, o departamento, a filial ou até mesmo o projeto, dependendo de como a empresa se estrutura.

Operacional

O nível operacional está diretamente em contato com o cliente e os stakeholders da organização. Quem realiza as atividades nessa esfera são os técnicos e encarregados de execução. A abrangência é ainda mais restrita, limitada a pequenos grupos ou indivíduos.

Já a função específica desses profissionais é colocar em prática processos, subprocessos e atividades operacionais da empresa.

Entretanto, para que a gestão chegue a essa etapa com chances reais de atingir suas metas, é necessário que a parte inicial do planejamento estratégico e da tática seja bem elaborada. O motivo é óbvio: tais processos são totalmente integrados e exigem um alinhamento adequado para que as ações sejam bem executadas.

Qual é a importância e por que realizar o planejamento estratégico? 

Um planejamento estratégico eficaz pode trazer muitos benefícios para qualquer tipo de negócio, como:

  • indicar o caminho ideal para a sua empresa;
  • proporcionar foco nos objetivos definidos;
  • aprimorar os processos do seu negócio;
  • motivar seu time.

Como resultado, o planejamento estratégico orienta o seu negócio a como enfrentar os desafios que estão por vir. Quanto ao foco, ele ajuda a desenvolver as metas e objetivos certos, além de fazer com que toda a sua equipe concentre os esforços num só lugar.

Cultivar o planejamento estratégico significa que o seu negócio tem ciência dos seus pontos fortes e o que precisa melhorar, além do seu posicionamento no mercado em relação aos concorrentes.

Por fim, a motivação propicia um senso de propósito. Assim, sua equipe saberá que todo esforço está servindo para algo importante. Logo, ela estará motivada em continuar executando o seu trabalho, o que molda um ambiente em que todos se sintam responsáveis.

Startups e grandes empresas

Uma startup precisa de um planejamento estratégico desde o primeiro dia de funcionamento. É necessário saber exatamente onde você quer chegar, o que fazer e os passos a serem seguidos.

O conteúdo do planejamento estratégico para startup é muito diferente comparado a um planejamento estratégico destinado às grandes empresas, como expomos acima. O que precisamos ter, nesse nível de uma startup, é a hipótese de como você montou o negócio e saber quais as partes precisam ser testadas para ele funcionar.

Em contrapartida, uma empresa mais estabelecida tende a possuir maior conhecimento e clareza das variáveis, dos modelos de negócios e do controle das métricas. Portanto, é possível criar hipóteses mais assertivas do que tem de ser executado.

Nas startups devemos criar possibilidades do que precisa ser testado e quanto tempo levará para ser concretizado. Nesse contexto, o planejamento estratégico para esse tipo de negócio deve ter um projeto bem definido e alinhado às metas mais relevantes.

Como implementar e quais os pontos essenciais do planejamento estratégico?

Antes de tudo, apure e avalie as informações internas e externas da sua empresa. Em relação ao ambiente interno, investigue todos os pontos fortes e os que precisam melhorar, tais como equipe, estrutura, recursos disponíveis e saúde financeira.

Já no ambiente externo você pesquisará sobre o comportamento dos consumidores, cenário econômico, político e social, tendências de mercado e concorrência.

O objetivo desse estudo é compreender a circunstância em que a empresa está inserida. Dessa forma, se faz necessário trabalhar tópicos essenciais para as futuras tomadas de decisão para alcançar seus objetivos.

Posteriormente, defina, com êxito, missão, visão e valores do seu negócio. Como já falamos acima, esses serão os tópicos essenciais para as futuras tomadas de decisões e providências de estratégias.

Do mesmo modo, pontue suas metas e objetivos, como meta de venda, aquisição de novos clientes e aumento na produção. É importante frisar que os propósitos devem ser realistas, ou seja, dentro daquilo que sua empresa, de fato, poderá obter. Nesse contexto, o envolvimento da equipe é essencial.

Quais cenários considerar ao montar o planejamento estratégico para 2022?

O ano de 2022 promete ser um dos mais agitados, já que muitos eventos podem interferir nas estratégias de uma empresa. Exemplos disso são as eleições e os trabalhos presenciais que voltarão com mais força, tendo em vista o avanço da cobertura vacinal contra a Covid-19.

Existem alguns tópicos que, de certa forma, sempre estiveram ligados ao planejamento estratégico e que nem sempre receberam a devida análise. Porém, em 2022, precisarão ser tratados de maneira bem objetiva.

Acima de tudo, pode-se citar a transformação digital — talvez o ponto mais impactante e que engloba o mundo todo. Do mesmo modo, deve-se considerar as práticas ambientais, sociais e de governança envolvidas.

Outro cenário é a avaliação produtiva da cadeia de valor, devido aos fortes impactos sofridos por causa da pandemia. Juntamente, outro ponto muito forte é a gestão de riscos e desastres, que, normalmente, é bem negligenciada pelas organizações.

A questão mais fundamental de todas são as pessoas. Elas vão precisar desenvolver novas competências para 2022. O mundo já estava sofrendo transformações severas, tais como a transformação digital, a indústria 4.0 e a inserção de pessoas com outras visões nas empresas. Nesse sentido, a pandemia aplicou um xeque-mate. Logo, os executivos precisam conduzir esses processos citados anteriormente. 

Não se trata mais somente sobre vender e acompanhar se o resultado está bom. É uma questão de sobrevivência. O cenário externo mudou, tanto que aquilo que era gerenciável, nos dias atuais, não é mais. Um exemplo são os ataques cibernéticos, que fragilizam altamente todas as economias.

Percebe-se que é uma série de questões que vêm ocorrendo e que as empresas não sabem como agir. Por tal razão, é preciso se preparar estrategicamente para superar esses entraves.

Por fim, pode-se afirmar que o planejamento estratégico é um recurso que remete à organização de ações mais específicas e alinhadas aos objetivos de qualquer tipo de negócio. Logo, é necessário pensar, estrategicamente, em um modelo de plano de ação que englobe a missão e a visão de seus projetos corporativos.

Agora que já sabe as diferenças do planejamento estratégico, se associe à Amcham para tomar decisões assertivas na condução de negócios, se baseando em benchmarkings e reuniões exclusivas de troca de informações entre líderes. 

Já é sócio? Confira nosso calendário de atividades para potencializar seu planejamento estratégico 2022.