Amcham divulga as empresas mais sustentáveis do Brasil, vencedoras do Prêmio Eco 2013

publicado 25/11/2013 08h30, última modificação 25/11/2013 08h30
São Paulo – Na 31ª edição, a primeira premiação brasileira mostra a evolução da sustentabilidade no país
sustentaveis-foto01.jpg-6380.html

O Prêmio Eco, iniciativa da Amcham pioneira em reconhecer a sustentabilidade empresarial, chega à 31ª edição contemplando dez empresas com os cases mais inovadores do país. Um júri composto por 55 especialistas escolheu companhias que já inseriram os conceitos de sustentabilidade na gestão, bem como em seus processos, produtos e serviços sustentáveis, divulgados hoje, dia 25 de novembro.

A cerimônia de entrega da premiação será em 09 de dezembro, na Amcham - São Paulo, com palestra de Robert Eccles, professor de Harvard especialista em sustentabilidade. Veja como participar aqui.

Os vencedores são: AES Holdings Brasil; Banco Santander; Beraca Sabará Químicos e Ingredientes; Duratex; HP Brasil; Korin Agropecuária; Pepsico do Brasil; Precon Engenharia; Schneider Electric Brasil (com dois cases); Tetra Pak.

Eles estão divididos nas modalidades ELIS (Estratégia, Liderança, Inovação e Sustentabilidade) e Práticas de Sustentabilidade – essa última, subdividida nas categorias Produtos ou Serviços e Processos.

Uma história de 31 anos

Os inscritos possuem a inovação como característica comum, avalia Daniela Aiach, diretora da Amcham para o Prêmio Eco.

“Podemos observar este ano, que todos os projetos inscritos tem um viés de inovação. É pela inovação e somente por ela, que será possível a sustentabilidade. Já estamos assistindo uma grande mudança dentro das empresas, uma busca por um novo modelo de negócios”,  afirma.

Esse avanço se reflete no Prêmio Eco, que acompanha a evolução do tema no Brasil, sendo o primeiro a ser criado, no início dos anos 80.

“No começo, o que existia eram projetos empresariais voltados para a comunidade. Apesar do Brasil ainda precisar de ações sociais, esse caráter deu lugar a busca da transparência, da ética e do relacionamento com os stakeholders”, diz. “As empresas evoluíram no tema, hoje a sustentabilidade permeia a empresa como um todo”, declara.

Cases vencedores

Na modalidade ELIS, a Beraca Sabará Químicos e Ingredientes ganhou, entre os inscritos de pequeno e médio porte, pela gestão de toda a cadeia de negócios da unidade de Ananindeua – PA. Entre os de grande porte, HP, Tetra Pak e Schneider também foram contempladas. A Schneider já havia vencido nessa mesma categoria no ano anterior.

Na categoria Processos, dentro da modalidade Práticas de Sustentabilidade, a AES teve sucesso entre os de grande porte com o Programa de Transformação de Consumidores em Clientes. No mesmo porte, a Pepsico foi escolhida pelo projeto de geração de energia a partir da casca de aveia, em sua unidade de Porto Alegre- SP.

A Korin Agropecuária foi contemplada entre os de pequeno e médio porte pelo uso de recursos naturais e pelo bem-estar animal na produção de ovos de qualidade livres de antibióticos.

Ainda na modalidade Práticas de Sustentabilidade, na categoria Produtos ou Serviços, o projeto Santander Universidades, do Banco Santander, foi um dos vencedores entre os de grande porte. A Duratex foi escolhida pelo Mictório Save, que elimina o uso de água em seu funcionamento.

Também com grande porte, a Schneider Electric ganhou pela Villa Smart, em Tumbira e Santa Helena do Inglês, no Amazonas. O projeto garante às comunidades energia de fontes limpas por 24 horas, ininterruptamente, por um custo menor, além de outros benefícios.

A Precon Engenharia, de Belo Horizonte, foi contemplada como empresa de pequeno e médio porte pelo SHP – Sistema Habitacional Precon. É o segundo ano de vitória do SHP, sistema de construção pré-fabricada industrialmente. Dessa vez, a empresa apresentou e comprovou novos avanços sustentáveis em toda a cadeia de negócio em que o produto é inserido.

O prêmio Eco

O Prêmio Eco é a primeira iniciativa brasileira em reconhecer a sustentabilidade empresarial. Foi criado pela Amcham – Brasil (Câmara Americana de Comércio) em 1982. O processo de escolha dos cases dura, em média, seis meses e é realizado por meio de um júri de especialistas nas áreas contempladas pela premiação.

Acompanhe no portal da Amcham e no site do Prêmio Eco as próximas notícias do prêmio, como os detalhes dos cases vencedores, quem são os jurados, a palestra de Robert Eccles e como participar da cerimônia de entrega dos troféus.

registrado em: