Estudo de vencedores do Prêmio Eco revela o que as empresas sustentáveis têm em comum

publicado 21/02/2014 10h01, última modificação 21/02/2014 10h01
São Paulo – Pesquisa considera os contemplados nos últimos três anos e mostra tendências na área
eco-foto01.jpg-5989.html

Ambiente voltado para a inovação, comunicação, transparência e comprometimento da alta liderança são algumas características comuns entre as empresas mais sustentáveis do país, vencedoras do Prêmio Eco, da Amcham, nos últimos três anos. A análise foi apresentada na quinta-feira (20/02), durante o Seminário Sustentabilidade, que apresentou quatro casos vencedores da última edição do Prêmio Eco, conhecidos em dezembro de 2013.

Análise

O estudo considerou os ganhadores das modalidades ELIS (Estratégia, Liderança, Inovação e Sustentabilidade), que considera a sustentabilidade em toda a gestão da corporação, e Práticas, que reconhece produtos, serviços e processos mais sustentáveis.

“Esse estudo é uma fotografia de como essas empresas estão se posicionando e quais as tendências para o futuro”, comenta Daniela Aiach, diretora da Amcham para o Prêmio Eco.

Os vencedores dos últimos três anos, na categoria ELIS, são da construção civil, energia, perfumaria e cosméticos, tecnologia da informação, varejo, embalagens e ativos da biodiversidade/indústria química.

Visão e estratégia

Em comum, essas empresas vêem a sustentabilidade como um valor corporativo e diferencial competitivo. Na prática, isso se traduz em privilegiar o pioneirismo, em vez de apenas focar na manutenção do patrimônio. “A conseqüência é que eles têm um excelente ambiente de inovação”, pontua Daniela.

O tema sustentabilidade está em todos os processos da gestão. Geralmente não há departamento separado só para cuidar dessa área e quando ele existe tem uma equipe enxuta. Dessa forma, há integração da temática em todos os departamentos.

Há, ainda, entre as empresas vencedoras, o forte envolvimento da alta direção e do conselho com o assunto. “A sustentabilidade está incorporada aos processos decisórios e resultados. O desempenho social e ambiental vem em adição ao econômico e, em muitos casos, a remuneração é variável e depende dessas metas”, explica a diretora.

Novo foco: cidades sustentáveis

Os casos vencedores apresentam em comum comunicação e transparência, orientadas a longo prazo, medindo e reportando as métricas sociais e ambientais, junto às financeiras.

Outro ponto é o engajamento com todos os stakeholders: envolvimento com toda a cadeia de valor e, novidade entre os inscritos, o desenvolvimento de soluções para cidades sustentáveis.

“Esse é um foco novo, com expressivo aumento de casos. Há projetos como soluções habitacionais ecológicas com baixo custo, complexos urbanos sustentáveis, comunidades com energia solar e planejamento estratégico na gestão da saúde pública, entre outros”, cita Daniela.

Duas perguntas básicas

Na prática, essas empresas empregam novas tecnologias e inovações em seus processos para otimizar as operações de forma sustentável. Como exemplo, reaproveitam resíduos nos processos produtivos, mudam a matriz energética e formalizam metas de redução de gases de efeito estufa.

“Essas empresas analisam o ciclo de vida dos produtos, desde a extração da matéria prima até o descarte. A inovação ocorre nesse ciclo, com substituição de materiais, redução do consumo de energia e de embalagens, ganho de produtividade e menor descarte de substâncias nocivas ao ambiente”, explica a diretora da premiação.

Em resumo, essas empresas ditam tendência com duas perguntas: “Como posso fazer melhor com menos?” e “Conheço, de fato, os impactos sociais e ambientais que gero?”, ressalta Daniela.

Prêmio Eco

O Prêmio Eco é a primeira iniciativa brasileira em reconhecer a sustentabilidade empresarial. Foi criado pela Amcham Brasil (Câmara Americana de Comércio) em 1982. O processo de escolha dos cases dura, em média, seis meses e é realizado por meio de um júri de especialistas nas áreas contempladas pela premiação. Em 2013, participaram 54 jurados.

Nas 31 edições, 2.117 empresas participaram, inscrevendo 2.630 projetos, entre os quais, 240 foram vencedores. A entrega dos troféus da última premiação ocorreu em dezembro de 2013 e contou com palestra do especialista americano Robert Eccles. Em sua palestra, ele abordou sua pesquisa sobre sustentabilidade e resultados financeiros, realizada com 180 empresas norte-americanas, durante 18 anos.

Os cases inscritos desde 2008 e as notícias sobre o Prêmio Eco podem ser acessados no site da premiação (www.premioeco.com.br) ou no portal da Amcham (www.amcham.com.br).

registrado em: