#PrêmioECO: 11 inovações de produtos e serviços sustentáveis que apontam tendências de consumo

publicado 15/01/2019 13h15, última modificação 08/02/2019 11h36
Brasil – Conheça as iniciativas que trouxeram novas tecnologias para criar produtos e processos mais sustentáveis
SãoPaulo_CapaMatéria_Inovacao_v2.jpg

A inovação é uma das grandes aliadas da sustentabilidade. Para uma organização, investir em e desenvolver novas tecnologias sustentáveis significa trazer produtos ou processos que impactam positivamente no meio ambiente, na sociedade e na economia.

Na 36ª edição do Prêmio Eco, onze iniciativas empresariais se destacaram por seu caráter inovador e venceram a principal premiação de sustentabilidade empresarial do País.

Conheça mais detalhes sobre cada um dos projetos premiados em cerimônia no próximo dia 21/2, em evento público, em São Paulo (informações clique aqui):

 

RHODIA SOLVAY GROUP  Augeo Clean Multi

A companhia criou um solvente a partir de uma fonte renovável, usando matérias-primas como a glicerina do Programa Biodiesel e acetona produzida pela própria empresa. Além disso, o produto é mais seguro para usuários, sendo menos tóxico e prejudicial à saúde humana.

 

RHODIA SOLVAY GROUP  Projeto Angela

O Angela é uma unidade de abatimento de óxido nitroso (N2O), um dos gases do efeito estufa. Instalado em um complexo industrial da Rhodia, o Angela consegue eliminar, por ano, 5,3 milhões de toneladas de CO² equivalente. O desenvolvimento tecnológico e construção foi fruto de um investimento de 10 milhões de euros e funciona desde 2006.

 

ECO 1 BRASIL  Limpeza a Vapor na Indústria Alimentícia

A Eco1 desenvolveu um equipamento para a Arcor do Brasil que permitiu a limpeza das máquinas da linha de produção da fábrica sem uso de produtos químicos. Através da limpeza a vapor, foi possível reduzir em 98% o consumo de água do processo de higienização.

 

CPFL ENERGIA  Campinas Lab

Em parceria com a Unicamp, a empresa desenvolveu projetos para testar as tecnologias emergentes que podem impactar no setor de energia. A ideia é envolver a academia, empresas e a população e incentivar o uso de energias limpas e a produção científica brasileira, preparando o setor energético brasileiro para o futuro. Foram desenvolvidos cinco subprojetos relacionados a inovação e energia dentro do Campinas Lab, envolvendo armazenamento de energia, energia fotovoltaica, desagregação de consumo e mobilidade elétrica.

 

PIIPEE – Descarga com pouca água

Usando o dispositivo Piipee em vasos sanitários e mictórios, a economia de água chega a 80%, garante o fabricante. Quando acionada, a solução – que funciona apenas para urina – joga no vaso uma mistura líquida biodegradável que elimina o mau cheiro, economiza água da descarga e limpa o vaso. A aplicação consome algumas gotas de preparo e evita o uso de até 15 litros de água tratada de uma descarga, de acordo com os inventores.

 

YVY – Limpeza com economia de água

A Terpenoil desenvolveu uma linha de produtos concentrados de limpeza (YVY) a partir de matérias-primas naturais, evitando componentes petroquímicos. O uso é feito por meio de um kit de limpeza, composto por um recipiente-borrifador retornável e pequenas cápsulas de química verde concentrada. Para utilizar os produtos, basta adicionar água ao borrifador e acoplar a cápsula indicada para o tipo de limpeza desejada. Os produtos também podem ser adquiridos por assinatura mensal.

 

CELESC DISTRIBUIÇÃO S.A. – Preparando a chegada dos carros elétricos

O Eletroposto Celesc é uma iniciativa da Celesc Distribuição para preparar o uso de carros elétricos em Santa Catarina e garantir receitas futuras com um novo negócio. Desde 2015, mais de 300 quilômetros de rodovias do litoral norte do estado possuem postos de recarga veicular elétrica em cidades como Florianópolis, Joinville, Blumenau, Itajaí e Balneário Camboriú.

 

CELULOSE IRANI S.A. – Produzindo lenha ecológica

Pensando em reaproveitar parte do material descartado na produção de papel e celulose, a Celulose Irani investiu 13 milhões de reais em um processo de transformação de resíduos industriais em bríquetes de carvão – uma espécie de lenha ecológica que polui menos e é mais calórica que fontes fósseis (gás, carvão e lenha) e convencionais (eletricidade). A iniciativa gerou 20 empregos diretos e transformou 3,2 mil toneladas de resíduo de carvão em 1 mil toneladas de bríquete.

 

SCHNEIDER ELECTRIC – Tecnologia em saneamento

A Schneider usou tecnologia de conectividade (internet das coisas) para aumentar a eficiência do tratamento de água e saneamento. A cada ciclo, tecnologias de conectividade, controle, automação e análise de dados são aplicadas para aumentar a eficiência da infraestrutura, reduzir custos de manutenção e operacionais, além de garantir a conformidade com as normas e segurança. A tecnologia é usada no projeto Aquapolo, que fornece 650 litros por segundo de água de reuso para as indústrias do Polo Petroquímico do ABC Paulista.

 

C&A  Camiseta sustentável

A C&A desenvolveu a primeira camiseta desenvolvida com critérios de sustentabilidade desde o processo de fabricação até o descarte final. A produção não gera resíduos excessivos e, no fim da vida útil, serve de nutriente para o solo por meio de compostagem.

 

ESCRITÓRIO ORGANIZADO – Sustentabilidade com fezes de gato

O empreendedor Pierre da Silva Decaris fez aquela parte chata dos cuidados com os gatos (limpeza das fezes) ficar mais sustentável. Seu sistema é baseado em compostagem e transforma as fezes do bichano em adubo, após processo de decomposição do material em um reciclador biológico com minhocas. A areia ou serragem da caixinha de necessidades também é recuperada no processo, o que diminui os gastos de reposição, assegura Decaris.

 

Para saber mais sobre outros cases vencedores:

#PremioECO: 14 empresas que são destaque em inserir sustentabilidade na estratégia e gestão

#PremioECO: 6 empresas que transformaram diversidade e inclusão em plataforma sustentável

#PremioECO: 15 projetos que diminuíram impacto dos negócios na natureza