RL Higiene neutraliza 100% da massa de resíduos que gera

publicado 09/12/2016 12h21, última modificação 09/12/2016 12h21
Projeto junto a cooperativa de catadores compensa 7.525kg de resíduos plásticos colocados no mercado pela empresa
rl-higiene-6231.html

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/10) institui que as empresas recolham 22% da massa equivalente de embalagens geradas após o consumo. A RL Higiene, empresa especializada no desenvolvimento de produtos e processos de higiene profissional, resolveu ir além: a organização foi a pioneira em neutralizar 100% da massa de resíduos que gera na embalagem de seus produtos. A iniciativa foi premiada com o Prêmio Eco 2016 na categoria de Sustentabilidade em Processos – Empresas de Pequeno e Médio Porte.

O projeto, idealizado com a ajuda da consultoria dos Recicleiros e operacionalizado pela cooperativa de catadores Yougreen, contempla as embalagens comercializadas em todas as áreas em que a RL atua, predominantemente no Estado de São Paulo. Mediante pagamento de um valor mensal a cooperativa, a RL conseguiu compensar 100% da massa de resíduos, assegurando o cumprimento da lei e criando um diferencial competitivo importante. “Olhamos nossos números e vimos que éramos obrigados, pela lei, a recolher 22% do lixo. Entendemos que, dentro do nosso posicionamento de empresa sustentável, a gente deveria se esforçar para fazer o 100%. Isso valorizaria o nosso diferencial”, afirma Ricardo Vacaro, diretor geral da RL Higiene.

No período de um ano (abril de 2015 a março de 2016), a RL compensou um total de 7.525kg de resíduos plásticos colocados no mercado por suas embalagens, capturando esse material e reintroduzindo na cadeira produtiva através da reciclagem. Além do impacto ambiental, as ações fortaleceram o diferencial da empresa diante de seus clientes, colaboradores, fornecedores e stakeholders.

Outra vantagem do projeto é o desenvolvimento da cooperativa de catadores. A Yougreen tem liberdade de aplicar os recursos repassados pela RL e, assim, pode se desenvolver, reconhecendo o protagonismo dos catadores. “Ao pagar pelo serviço e não pelo quilo do papel ou lixo, colocamos em outro patamar as cooperativas de catadores de lixo, dando outra dimensão e outra dignidade para o trabalho deles”, garante Vacaro.

O diretor da empresa acredita que o case deve inspirar muitas empresas a seguirem nesse caminho, já que a solução não é cara e traz grandes benefícios a longo prazo. “Ao saber que vencemos o Premio Eco, extremamente simbólico e grande nesse mundo da sustentabilidade, foi muita emoção interna e isso mexe com a autoestima da empresa”, conta.

registrado em: