Vale, Philips e MPX vencem Prêmio ECO na categoria Novos Projetos

por giovanna publicado 10/11/2010 19h12, última modificação 10/11/2010 19h12
São Paulo – Empresas são reconhecidas por programas nos quais incorporaram critérios de sustentabilidade de forma sistêmica e estratégica.

A Vale, a Philips e a MPX Energia são as vencedoras do Prêmio ECO 2010 na categoria Sustentabilidade em Novos Projetos. Os trabalhos desenvolvidos por essas empresas têm caráter inovador, eixo central adotado pela premiação desde o ano passado. São novos projetos com critérios de sustentabilidade incorporados de forma sistêmica e estratégica.

Sensibilização dos stakeholders

A mineradora Vale foi condecorada pelo Programa Atitude Ambiental, criado com o objetivo difundir os princípios da sustentabilidade por meio de ações educacionais voltadas a seu público interno (gestores e colaboradores) e externo (comunidades e escolas).

O conteúdo para os funcionários da Vale foi estruturado em três módulos presenciais.O primeiro, denominado “Conhecer”, teve o intuito de provocar a reflexão e a compreensão da problemática ambiental; o “Ser e Fazer” visou transformar o conhecimento em valores e comportamentos; e o terceiro, “Conviver”, demonstrou a importância de compartilhar informações, do engajamento das pessoas em práticas sustentáveis.

Os colaboradores também contaram com ações extracurriculares, customizadas de acordo com as características ambientais de cada localidade onde a companhia está inserida. Em relação à comunidade, foram estabelecidos grupos para criação e multiplicação de projetos sustentáveis de interesse de cada região e a Vale também buscou capacitar educadores, apoiando planos de aulas e inserindo o tema do meio ambiente de forma transversal.

O projeto já incluiu 430 empregados, 326 discentes e docentes de escolas municipais e 266 representantes das comunidades, além de mais de 2 mil pessoas entre pais, alunos e moradores envolvidos nos eventos. 

O Programa Atitude Ambiental tem grande relevância corporativa, pois a metodologia foi desenvolvida com a intenção estratégica de incorporar a sustentabilidade ao sistema de gestão e à cadeia de valor da Vale.

“O Prêmio ECO demonstra que estamos construindo um legado positivo para as gerações futuras. É gratificante sermos reconhecidos por esse trabalho, que tem foco no desenvolvimento humano”, ressalta Rodrigo Ribeiro, gerente geral de suporte à Operação da Vale em Ourilândia do Norte, no Pará.

Reciclagem

A Philips do Brasil desenvolveu o Programa Ciclo Sustentável, proporcionando aos consumidores a oportunidade de dar destinação adequada aos produtos eletroeletrônicos e eletroportáteis que chegaram ao fim de sua vida útil. O projeto oferece locais para entrega dos aparelhos sem uso; os envia para pontos de triagem e separação dos diversos componentes recicláveis (metais, fios, plásticos e vidros, assim como tubos de televisores); e encaminha o material para o reprocessamento. O ciclo se completa com os materiais resultantes desse processo transformados em matéria prima para novos produtos, o que elimina o desperdício de insumos e reduz drasticamente o volume de lixo eletrônico.

Para integrar o consumidor nessa ação, a Philips disponibiliza telefones do Centro de Informações ao Consumidor (CIC) e incluiu informações de caráter educativo em seu site.

Conforme Marcio Quintino, gerente sênior de Meio Ambiente da área de Sustentabilidade da empresa, essa iniciativa é pioneira no Brasil e está sendo utilizada como referência no mercado para as atividades de logística reversa.

“O Programa Ciclo Sustentável reforça a responsabilidade ambiental da Philips para todos os stakeholders do negócio. O Prêmio ECO situa em maior escala a posição de liderança e inovação da Philips como empresa com foco em saúde e bem estar”, afirma Quintino.

Reassentamento

O projeto Reassentamento Vila Residencial Nova Canaã, no município de Paço do Limiar, na Grande São Luís Maranhão, reconhecido pelo Prêmio ECO, é uma iniciativa da MPX Energia, do Grupo EBX, que investe em sistemas integrados de energia. O programa está associado à instalação da Usina Termoelétrica Porto do Itaqui porque a comunidade da Vila Madureira, no entorno, vivia em condições precárias. Grande parte das casas possuía apenas cobertura de palha e paredes de barro, sem infraestrutura sanitária. Das 95 famílias moradoras do local, 23 habitavam áreas de risco próximas a um aterro sanitário ilegal, trabalhando na exploração clandestina do lixo.

Os moradores foram transferidos para a Vila Residencial Nova Canaã. Cada família recebeu uma casa de alvenaria com 57m2 mobiliada com fogão, geladeira, televisor e computador. Foi criada ainda uma área de 60 hectares para a produção agrícola para dar autonomia à comunidade. A MPX desenvolveu em parceria com o Senai um Programa de Capacitação Profissional, garantindo à comunidade acesso a cursos de carpintaria, armação de ferragens e também possibilitando a alguns participantes a atuação na obra da própria usina termoelétrica.

“A MPX criou valor para a comunidade, não apenas a realocou. Os estudos de diagnóstico social que realizamos foram essenciais para que pudéssemos compreender as vontades e as necessidades dessas pessoas”, disse Eduardo Karrer, presidente da companhia.

De acordo com Karrer, o Prêmio ECO reflete o empenho do Grupo EBX na valorização das questões socioambientais nas comunidades onde atua. “Ficamos satisfeitos ao ver que a orientação de nosso controlador Eike Batista, de pensar e implantar projetos de referência em sustentabilidade, obtém reconhecimento.”

 

registrado em: