Amcham deve abrir filiais em Campo Grande (MS) e Joinville (SC)

por andre_inohara — publicado 23/03/2012 12h15, última modificação 23/03/2012 12h15
São Paulo – Novas missões comerciais aos EUA e agenda de debates sobre os desafios do País nos próximos anos são focos de atuação da entidade, anunciados em posse do Conselho de Administração 2012.
eduardo_wanick.jpg

A Amcham vai ampliar sua presença geográfica em 2012 e dar sequência às ações de melhoria do ambiente empresarial brasileiro.

“Vamos inaugurar mais duas unidades regionais neste ano. Hoje temos onze, e vamos abrir uma em Campo Grande (MS) e outra em Joinville (SC), reforçando a atuação nacional”, disse Eduardo Wanick, presidente do Conselho de Administração da Amcham e presidente e CEO da Du Pont para a América Latina.

Atualmente, a Amcham possui unidades em Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Ribeirão Preto, Salvador, São Paulo e Uberlândia. Wanick e os demais membros do Conselho de Administração da Amcham participaram do almoço de posse do colegiado, realizado em São Paulo na quinta-feira (22/03).

Veja aqui: Renovado, Conselho de Administração da Amcham toma posse reforçando relação Brasil-EUA

Na ocasião, Wanick disse que a agenda de atividades de 2012 será ainda mais intensa que a do ano passado, começando pela participação da visita da presidente Dilma Rousseff aos Estados Unidos entre 09 e 13 de abril.

“Como aconteceu durante a visita do presidente Barack Obama ao Brasil, a Amcham vai desempenhar um papel muito importante no desenho e promoção do encontro da presidente com líderes empresariais americanos”, observa Wanick.

Veja aqui: Dilma Rousseff se reúne com Barack Obama nos EUA em abril

No ano passado, a Amcham organizou a Cúpula Empresarial Brasil-EUA em conjunto com o Brazil-US Business Council e a CNI (Confederação Nacional da Indústria), um diálogo entre o setor privado brasileiro e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante sua visita ao Brasil em março de 2011.

Missões internacionais

Além de contribuir para o diálogo entre as autoridades americanas e o setor privado brasileiro, a Amcham vai promover novas missões comerciais ao exterior. “Com apoio do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores), promoveremos conjuntamente missões comerciais aos Estados Unidos. Realizaremos também a primeira missão a países da América Latina, e a segunda à China”.

Veja aqui: Missão para atrair investidores estrangeiros abre calendário internacional da Amcham

Os participantes das missões terão oportunidade de visitar associações e feiras de negócios para aumentar o networking e encontrar parceiros e clientes. Além disso, para fomentar negócios durante as visitas, a Amcham prepara materiais de apoio, em parceria com várias instituições.

Novos estudos do programa How To Do Business in Brazil, guias contendo informações sobre o mercado brasileiro voltado a investidores estrangeiros, serão confeccionados e distribuídos durante a missão. Trata-se de uma forma de aumentar a visibilidade do mercado brasileiro no exterior. “Eles têm sido muito bem sucedidos em gerar atração de investimentos permanentes no Brasil”, assinala Wanick.

Veja aqui: Amcham lança mais duas publicações da série How to Do Business in Brazil

Projeto “How To” ganha site e quer ampliar títulos sobre como fazer negócios no Brasil

O Prêmio ECO e a Rio + 20

A promoção da sustentabilidade no mundo dos negócios, uma das prioridades da Amcham, também será contemplada ao longo do ano. O Prêmio ECO chega aos trinta anos como o principal reconhecimento nacional em práticas de sustentabilidade, e a Amcham prepara uma publicação especial sobre economia verde. Além de ser um dos principais temas da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (a Rio + 20) no Brasil no segundo semestre, é uma forma de comemorar as três décadas do prêmio.

“O prêmio está na vanguarda do reconhecimento de práticas sustentáveis no Brasil. Dentro desse espírito e sintonizado com a realização da Rio + 20, a Amcham vai distribuir uma publicação especial sobre economia verde no começo e durante a conferência”, adianta Wanick.

O presidente do Conselho disse que essas iniciativas mostram que a Amcham está cada vez mais alinhada com o papel de defensora da livre iniciativa privada no Brasil, “com respeito à sociedade e ao meio ambiente, e com a elevação da competitividade brasileira, que inclui o fortalecimento das nossas relações com os Estados Unidos, os nossos parceiros comerciais em muitas áreas, inclusive inovação.”

Veja aqui: Prêmio Eco comemora 30 anos e vai premiar três empresas grandes em 2012

Balanço de 2011

O CEO da Amcham, Gabriel Rico, disse que ano de 2011 foi marcado pela intensidade das relações entre o Brasil e os Estados Unidos. “Tivemos a felicidade de presenciar o momento em que o País viu muitas oportunidades de crescimento e as relações bilaterais passaram por um novo alento”, afirmou, durante o almoço de posse do Conselho de Administração da Amcham.

A visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ao Brasil em março foi um dos pontos altos dessa relação. Mas a promoção de missões comerciais aos Estados Unidos e China também foram importantes e a divulgação do País no exterior também foram importantes.

A realização da primeira missão à China também foi lembrada, marcada pela publicação de um guia “How To Do Business and Invest in Brazil” em mandarim.

“No ano passado, tivemos 18 publicações ‘How To Do Business and Invest in Brazil’. Assinamos um termo de ações conjuntas com o Itamaraty e ganhamos legitimidade cada vez que viajamos para fora em missões internacionais”, recorda Rico.

Além disso, a visita de governadores americanos ao Brasil (Flórida, Massachussetts e Indiana) e de autoridades americanas ao longo de 2011 foi consequência da melhora das relações bilaterais.

Programa de competitividade

No foco nacional, a Amcham deu continuidade ao programa ‘Competitividade – Custos de Transação’, série de debates sobre os principais gargalos da economia nacional. Foram realizados 11 seminários com a presença de 1350 pessoas e mais de 50 palestrantes.

“As conclusões a que chegamos estão em linha exatamente com o pensamento do empresariado brasileiro e das pessoas que querem acelerar o progresso do País”, destaca Rico.

A discussão tem trazido resultados práticos. Uma das primeiras sugestões do programa, em linha com um grupo de economistas renomados, era a de que os gastos correntes deveriam crescer até 50% do avanço da receita. “Em 2011, o governo Dilma Rousseff foi exatamente nesta direção e pela primeira vez tivemos os gastos do governo crescendo significativamente menos do que a receita”, lembra o CEO da Amcham.

Os debates aproximaram a Amcham de seus associados. “Fizemos cerca de 1600 atividades e tivemos um número de 2045 palestrantes ao longo do ano. Se considerarmos somente os dias úteis, temos uma média de dez palestrantes por dia participando das atividades. Tão importante quanto as palestras foi o fato de propiciar o diálogo, um debate pela ampliação do conhecimento e pela formação de idéias.”

Leia noticias relacionadas:

Amcham leva empresários brasileiros aos EUA para maior feira de alimentação e food service

Maior necessidade da economia verde é conscientizar os indivíduos, diz economista

Quer participar dos eventos da Amcham? Saiba como se associar aqui

Veja aqui quais são as vantagens de ser sócio da Amcham

registrado em: